John Daniel Sumner

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa
McdonaldsAmerica.jpg In Trump We Tru$t!

Este artigo é gringo! Não tente usar armas químicas de destruição em massa ou jogar aviões contra ele, Tio Sam agradece.

Loser 2.JPG John Daniel Sumner já morreu!

Não era corredor, mas esticou as canelas!

Clique aqui pra ver quem te espera no inferno


JD e seu inconfundível topete

Cquote1.png Você quis dizer: Subwoofer Humano Cquote2.png
Google sobre John Daniel Sumner
Cquote1.png Nunca vi, mas já ouvi Cquote2.png
Stevie Wonder sobre JD Sumner
Cquote1.png Eu ensinei ele a cantar Cquote2.png
Chuck Norris sobre JD Sumner
Cquote1.png ... Cquote2.png
Doutor Roberto sobre JD Sumner
Cquote1.png Eu tenho medo Cquote2.png
Regina Duarte sobre JD Sumner

John Daniel Sumner, ou J.D. Sumner foi um cantor norte-americano famoso no século passado e retrasado por sua voz de baixo potencialmente cataclísmica e por seu topete que demonstrava claramente ter vida própria.

História[editar]

John Daniel Sumner nasceu em 1874 em uma pequena vila chamada de nome desconhecido no interior do Texas. Filho de uma costureira e um cabeleireiro (que foi quem definiu o seu corte de cabelo padrão), JD como era chamado, fez o seu primário em uma pequena escola na antiga Nova Amsterdam (atual Nova Nova Nova Nova Iorque). Ele era zoado por seus colegas por causa do seu cabelo e de sua voz exageradamente grave para uma criança, porém essa zoação durou pouco pois seus colegas logo perceberam o risco que corriam, já que uma simples nota grave de JD poderia botar o prédio à baixo.

Precisa dizer mais?

Aos 234 anos, já um bem sucedido cabeleireiro, JD conheceu uma certo vendedor de picolé chamado Forrest Gump, que o apresentou a um tal de Elvis, seu antigo professor de cavaco. Logo JD se tornou um grande amigo do futuro Rei do Rock e passou à integrar a sua trupe musical, além de ser seu cabeleireiro particular.

Ele continou por anos à fio acompanhando a trupe de Elvis ao redor do mundo até a mudança forçada deste para o Acre em 1977. Depois do ocorrido JD continuou paralelamente suas carreiras de cantor e cabeleireiro até um incidente em 1986 quando, ao dar uma bronca em seu filho mais velho por ter batido o carro, soltou por acidente uma nota exageradamente grave que culminou em um terremoto de proporções hecatômbicas em São Francisco.

JD foi processado pelo estado da Califórnia pelos dano causados pelo terremoto, mas foi absolvido ao comprovar sua alegação de crime passional. Ele passou o resto de seus dias cantando e trabalhando para uma pequena empresa de demolições. Morreu em casa aos 486 anos vítima de uma intoxicação por brilhantina.

Ver também[editar]