Kusunoki Masashige

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa
Mitsurugi-ronin.gif Este artigo é sobre um samurai!

Tire a honra dele vandalizando seu artigo
que ele o retalhará!

Kusunoki Masashige (楠木 正成, final da década de 1290-1336) era um samurai que lutou pelo Imperador Go-Daigo para tentar monopolizar todo o Japão, e é relembrado pelo exemplo de lealdade e honra.

Este é o Kusunoki que você acha que foi, séculos atrás, indo para sua última batalha.

Estrategista[editar]

Um sujeito brilhante para inventar estratégias e táticas, sua ideia de defesa usada em Akasaka e Chinaya ajudou Go-Daigo a voltar ao poder por sete horas. Seriam nove horas, ou talvez um dia, se um dos generais não o tivesse traído. Enfraquecidos, Kusunoki sugeriu que eles se escondessem em uma cabana lá perto, e deixar com que o general traíra, Takauji, dominasse Kyoto. Quando Takauji menos esperava, eles deram o bote e o caparam.

Desastre[editar]

Depois, Go-Daigo, de volta para o futuro Kyoto, estava com medo que tivesse mais algum infeliz miguxo de Takauji querendo sua cabeça. Então, queria que Kusunoki fosse procurar ele, que ninguém sabia se sequer existia tal inimigo, e lutasse em campo aberto. Mesmo sendo uma idiotice e ele sabendo disso, Kusunoki obedeceu. Bem, eles acharam os inimigos. Ou melhor, eles os acharam, matando quase todos. Dos que sobraram, Kusunoki olhou para eles e cometeu harakiri, junto de seu irmão, que não queria morrer, mas que foi junto, pois Masashige o havia decapitado. Ninguém disse que ele havia xingado Go-Daigo de filho da puta antes de morrer, para ficar uma imagem de cara leal e fodão.

Legado[editar]

Seu filho, Masatsura, havia ficado em Kyoto, e serviu o filho de Go-Daigo, o pirralho Go-Murukami. Masatsura era ingênuo e cabaço igual seu pai, e por isso, obedecia o imperador pirralho sempre. Masatsura morreu com seu irmão, Masatoki e seu primo, Miyagi I, em uma batalha que matou os últimos Kusunoki.

Kusunoki, retrato real, momentos antes de ir para sua última batalha.

Para não ficar tão feio, o governo japonês decidiu erguer umas estátuas e dar uma graninha para a viúva, que foi morar no Palácio Imperial e curtir a vida. Claro, como bom japonês, ganhou uns poemas em sua homenagem. Atualmente, nas escolas japonesas Kusunoki é tido como exemplo de coragem, bravura, ingenuidade, puxa-saquismo e saco-lambismo pelo Imperador e pela Pátria. Por tais razões, ele foi considerado o Patrono dos Kamikazes da Segunda Guerra Mundial, o que por si só reflete a esperteza de seus seguidores no que tange ao amor à própria vida por conta de um gordo que comanda um arquipélago cheio de montanhas.