Lübeck

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa
Frauleinpre.jpg Desciclopëdia über alles in der welt!!!

Estä arrtigö é alemon! Issö querr düzerr que ele é parrte dö conspürraçon gerrmänica parra inwadir ö Frankreich por trrás öutrra wez. Non faça scheiße, öu te porremos de quatrro nö cörredorr polonës.

Este artigo é um
Patrimônio Mundial da Humanidade.

Pode ser uma ruína, uma cidade
de merda, um matagal abandonado,
mas está protegido!

World Heritage Site logo.png

Leitura recomendada apenas para
pessoas com cultura.

A UNESCO monitora este artigo.


Cquote1.png É o meu lar, aonde aprendi minhas técnicas de roubo Cquote2.png
Comerciante ganancioso sobre Cidade Hanseática de Lübeck
Cquote1.png Eu odeio isso, bando de filhos da p* Cquote2.png
Consumidor sobre Cidade Hanseática de Lübeck

A Cidade Hanseática de Lübeck é aparentemente mais uma cidade velha na Alemanha. Mas lá é o lugar de origem dos empresários que participam de cartéis e monopólios, desde traficantes de drogas até barracas de camelô. Sendo a origem de todo o ódio por parte dos consumidores avarentos que não gostam de gastar dinheiro, obviamente essa cidade é um patrimônio mundial, apesar da UNESCO justificar isso devido á arquitetura brega da região.

História[editar]

Local em Lübeck aonde os comerciantes controlavam o monopólio dos produtos piratas.

Quando não estão subornando fiscais do comércio ou planejando cartéis com outros empresários, os habitantes de Lübeck estão vendendo seus produtos a preços altos, devido ao monopólio à alta qualidade e garantia das mercadorias. Desde a era do gelo o lugar era ocupado por neandertais. Lübeck era o centro do monopólio de aquecedores e chocolates quentes, aonde os neandertais planejavam o controle do mercado desse item essencial na época.

Depois do fim da Era do Gelo, os consumidores revoltados atacaram Lübeck e destruíram o local, que só foi reconstruído quando os comerciantes juntaram grana o suficiente para reconstruir os prédios. Dessa vez, pensando num possível novo ataque por parte de compradores revoltados com os preços altos, os banqueiros e comerciantes fizeram um castelo para proteger as mercadorias e o ouro roubado ganho com o trabalho duro e honesto.

Quando o governo soube da existência da grande quantidade de grana presente em Lübeck, o imperador tomou a cidade dos comerciantes, e só a libertando depois de um acordo, em que os comerciantes deveriam dar uma parte dos lucros ao imperador. Nessa época, os vendedores de toda a Alemanha e do Mar Báltico ficaram "revoltados" com a entrada de produtos importados piratas chineses, formando um motivo para o surgimento do monopólio.

Todos os comerciantes e camelôs da região se uniram e fizeram uma organização para competir com as falsificações chinesas. Como o líder secreto da organização tinha lepra hanseníase, em homenagem a ele deram o nome de "Liga Hanseática". Lübeck era encarregada de exportar os produtos piratas da região para outros países, aonde eram vendidos. Deu muito certo a organização.

Sílvio Santos, um dos camelôs encarregados de vender os produtos da Liga Hanseática fabricados em Lübeck no Brasil, ficou milionário. A Liga só acabou quando os brintânicos, putos depois de comprarem um monte de produtos de Lübeck que não funcionavam, bombardearam a cidade. Para ser preservada dos compradores furiosos, a cidade virou um patrimônio mundial.