Mía Colucci

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para navegação Ir para pesquisar

Cquote1.svg Filhinha de papai criada a leite com peira Cquote2.svg
Gil Brother sobre Mía Colucci
Cquote1.svg Me padre grita otra vez Cquote2.svg
Mía Colucci sobre seu pai mandando ela parar de ser uma vagabunda e estudar

Mía Romba "Estrela Roja" Colucci Cárceres (você leu bem, CáRceres), também vulgarmente conhecida como "Miau", é uma personagem fictícia interpretada pela atriz mexicana Anahí, sabes o que isso quer dizer? Porra nenhuma. Também, mas também quer dizer se tratar de um artigo sobre uma personagem daquela telenovelinha medíocre mexicana chamada Rebelde, que fez sucesso lá (já que eles não vivem de outra coisa) e aqui em território brasileiro apenas algumas pessoas assistiram. Novela que aborda aqueles teminhas adolescentes que ninguém se importa: namoro, punheta, empurração de janta, problemas psicológicos e o cacete à quatro, mas o mexicanos adoram já que eles são o país das novelas (esdrúxulas) que são criadas por pura falta do que fazer, é a única fonte de renda que faz o país não falir, já que a Seleção Mexicana de Futebol não dá lucro já que não ganha nada, só a Copa da CONCACAF e olhe lá. É por essa e muitas outras novelas que as pessoas que assistiram, hoje são pessoas revoltadas, como por exemplo o pobre ArnaldoDK, que era obrigado a assistir novela até seus familiares irem dormir pra ele colocar no Canal 3 e jogar videogame.

É uma representante do comunismo na novela, tanto que usa uma estrela vermelha na testa, daí o apelido de "Estrela Roja", sempre elogiando figuras como Josef Stalin, Fidel Castro, Che Guevara e Lula, chegando ao ponto de dizer que o governo do PT foi o melhor da história brasileira. Em um episódio que não foi ao ar por questões muito polêmicas, após ela defender as ideologias comunistas publicamente, 93% da escola Elite Way School saiu correndo atrás dela, o que a obrigou a passar uns 22 minutos correndo, e só não acabaram com a raça dela porque o pai dela ameaçou explodi-los com um míssil Tomahawk e então a perseguição acabou.

Sobre Ela[editar]

Cquote1.svg DEUSA!!! Cquote2.svg
Nerd comunista sobre Mía Colucci

Riquinha criada a leite com peira, ovo maltino e pão com mortadela. Mesmo que não pareça, tem 16 anos (com a atriz sendo 5 anos mais velha), guria chata pra cacete e reclama de tudo (típico de rico) mesmo ganhando tudo na mão. É uma guria tão chata que sempre quando chegava da escola ia assistir o desenho O Clube das Winx na TV, desenho tão esdrúxulo que uma vez o seu tio, que é cadeirante, se levantou do sofá e desligou a televisão. Teve um dia que ela bateu o recorde de reclamações, reclamou porque perdeu o cabaço do suco sem açúcar no café da manhã, da calça apertada, do cachorro latindo, de quantas vezes morreu no Ninja Gaiden, do almoço sem sal, da "amiga insuportável" do colégio, etc. Reclamou tanto que o avô broxa dela não aguentou a birra e mandou ela calar a boca. Seu pai, Franco Colucci, ficou rico vendendo carros roubados no ABC Paulista e sua empresa se tornou a mais lucrativa do mercado Negro. É uma clássica frequentadora do Mundo do Pirulito, onde tudo é maravilhoso, só vive no bem bom já que é rica, vive assinando o Game Pass a 1 real (ou peso), só na mordomia cagando e andando pro mundo, como se vivesse num palácio de cristal, daí ganhou outro apelido: aquele time inglês.

História[editar]

'Tá olhando o que, cuzão? 'Tá me tirando?

Sua mãe aparentemente morreu na guerra civil quando ainda era um bebê, você leu bem, aparentemente. Seu pai nunca teve tempo para cuidar dela pois vivia viajando "para negócios" mas na verdade era uma desculpa pra não pagar pensão e nem viver 24 horas com uma menina mimada e irritante perto dele. Ela não sabe como é o rosto da mãe, já que seu pai a proíbe de ver as fotos, há rumores de que sua mãe na verdade está viva e trabalhando como espiã da milícia mas esconde seu paradeiro para não levantar suspeitas das autoridades. Você deve estar se perguntando porque a família dela tem "Cárceres" e não "Cáceres" no nome completo, simples: seu pai foi preso várias vezes (mais vezes do que Stalin, outro motivo pra ela idolatrar o russo) por tráfico de maconha, ópio e vilã heroína, além de ter que fugir da favela por também ficar devendo dinheiro pros agiotas do morro que não perdoavam regos inocentes. Sua mãe, avó, avô, sogro e sogra também recebiam dinheiro do tráfico e faziam parte do esquema de contrabando de celulares da Nokia (na época a Samsung não era tão popular assim até ser piratiada), é óbvio que esses também foram presos várias vezes, e de tantas vezes, ganharam, da população local, o apelido de "Família Cárceres", o apelido pegou e até a justiça colocou Cárceres no nome completo da família.

Mía após uma overdose de cocaína.

Elite Way School[editar]

Dentro do sanatório colégio interno para playboys faz parte de um grupo com ela e mais duas recalcadas: Vick Vaporub e Celina, que formam as melhores amigas do "Mia's Club" (depois dessa deu vontade de vomitar). É muito amiga de um zé ruela chamado Diego Buchagrande (Bustamante), todo mundo acha que eles seriam o "casal perfeito" mas ambos se consideram "só amigos" (nossa, que bela bosta!).

Ela ainda conheceu um mané novato na escola chamado Miguel Arango, inicialmente se "apaixonam a primeira vista", mas ambos se tratam com um ódio tão grande que só faltam cairem na porrada um com o outro, aí você pergunta: ¿Por que? Simplesmente por um mimimi de merda pela diferença de personalidade entre ambos e por tentarem esconder o que sentem um pelo outro, depois de uma merda dessa eu vou até encerrar o artigo.