Mike Rockenfeller

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa
Bismarckpre.jpg Desciclopëdia über alles in der welt!!!

Estä arrtigö é alemon! Issö querr düzerr que seu autorr suschtenta ö gerraçon interra com bratwurst e sauerkraut, serrvidös porr uma fräulein . Non faça scheiße, öu te porremos de quatrro nö Berliner Mauer.

Mike Rockenfeller
Mike Rockenfeller.JPG
3X4 da Super Licença
Nascimento 31 de outubro de 1983
Neuwied, Bandeira da Alemanha Alemanha
Nacionalidade Bandeira da Alemanha Alemanha
Ocupação Piloto
NovoWikisplode.gif
Para os neo-ateus que preferem acreditar em mentiras, os supostos experts da Wikipédia têm um artigo sobre: Mike Rockenfeller.

Cquote1.png Você quis dizer: Beto Rockfeller Cquote2.png
Google sobre Mike Rockenfeller
Cquote1.png Você quis dizer: Rockafeller Skank Cquote2.png
Google sobre Mike Rockenfeller
Cquote1.png Abre o olho, Kristensen! Cquote2.png
Mike Rockenfeller, Timo Bernhard e Romain Dumas sobre Le Mans
Cquote1.png PORRA NENHUMA! Cquote2.png
Piloto da Porsche que quebrou seu pé sobre a tentativa de bicampeonato dele em Le Mans
Cquote1.png Você traiu o movimento Porsche, veio! Cquote2.png
Dado Dolabella sobre Mike Rockenfeller

MIKE ROCKENFELLER é mais um piloto que corre na Le Mans Series, que é um preparatório pra Fórmula Audi, antigas 24 Horas de Le Mans, onde também corre, e que nas horas vagas, ainda corre na DTM, também pra Audi. É mais um filho de Michael Schumacher, ou seja, se tornando o melhor de todos os tempos, incentivou crianças a seguirem seu destino e o aumento monstruoso na venda de karts na Alemanha. Nascido em Neuwied, em 31 de outubro de 1983, o que mais tem é apelido: Rocky, porque ele fala parecido com o lutador e, quando se veste de mano, fica parecido com ele nos 2 primeiros filmes, Beto Rockfeller, The Rockafeller Skank, sua música favorita, e outros milhões dos tempos de escola. Venceu uma vez em Le Mans. Só uma mesmo: quando achou que venceria a 2ª, já que a Ferrari trollou o Kristensen, a Porsche volta a sacanear a Audi, mostrando que as equipes da LMGTE não queriam só melar a corrida do escandinavo: todos se juntaram, pois queriam acabar com a “Fórmula Audi”, quebrando o pé do piloto, assim, com a Audi sem poder e com seus pilotos bichados, eles entrariam na LMP1 e se matariam na corrida principal, mas, se esqueceram que eles entraram com 3 carros na edição de 2011...

Antes de Ser Piloto:[editar]

Lá nos Anos 80, quando as 24 Horas de Le Mans eram mundialmente conhecidas como “Fórmula Porsche”, Mike ainda era um menininho que queria ser piloto, então, gozando do fato de ter família com dinheiro, consegue a grana pro kart, e ainda sobrou um pouquinho pra comprar um CD do Fatboy Slim por causa de sua música favorita “The Rockafeller Skank”, e, embalado ao som de sua música favorita, foi vencendo tudo pela frente e por trás e pros lados também. Até que chegou a hora de se decidir o que queria fazer na vida: resolveu continuar com isso até ser o melhor piloto de todos os tempos (ou seja, tempo perdido...). Os anos se passavam e ele estava ficando velho, e já estava na hora de subir na vida, visando a Fórmula 1 ou alguma categoria onde receberia bem. Com todos esses sonhos, consegue apoio pra pilotar na Fórmula König. Se apoiou no ombro do chefe da equipe.

A Carreira Pré-Le Mans:[editar]

Não arranjando nada na DTM

Antes de ser campeão de Le Mans em um ano e quebrar o pé no ano seguinte, ele pilotou num campeonato de base de monopostos, com todo mundo achando que ele queria pilotar na F1, mas, só aceitou correr ali porque não existe categoria de base pra carros de turismo. Após n]ao vencer, entrou no programa de jovens pilotos da Porsche, que queria voltar a fazer das 24 Horas de Le Mans a “Fórmula Porsche”, estavam com muita saudade dos anos 70 e 80, e, tinham a esperança de que ninguém dominaria a categoria, e, assim, prepararam o cara pra correr pra eles. Enquanto pilotava na Porsche Supercup, a Fórmula Audi se consolidava e se tornava mais previsível, e, os alemães anteciparam seu acesso na corrida de 24 horas, mas, não pra pegar um LMP1 e cortar as asinhas dos Audis, mas sim, prematuramente na LMGT2, os carros mais lentos do grid, só pra tentar melar com a corrida dos alemães e dar o título pra Peugeot ou Oreca, enquanto a Porsche ainda construía seu LMP1.

Em Le Mans:[editar]

Cquote1.png O volante tá meio pesado... Cquote2.png
O carro era tão bonito antes da batida...

Já que ainda não tinha conseguido desenvolver um carro pra acabar com a Audi, só restou mesmo uns LMGT2 pra correr Le Mans. Mike fez trio com outros pilotos desconhecidos e nção completou a corrida. Tinha se borrado com a Mulsanne, mesmo que mutilada. Após um trabalho psicológico de um ano, Mike volta pra pista, com LMGT2 e vence dessa vez, e, comemorou cagando na Mulsanne. No ano seguinte, começou a correr em um monte de categorias, pra pregar a palavra da Porsche no mundo, e testar o LMP1 RS Spyder, e qualquer campeonato onde corram Porches. Mas, foi sacaneado e não correu em Le Mans, os caras estavam com sangue no zoio pra acabar com a “Fórmula Audi” e mostrar ao mundo que Kristensen é só mais uma vadia. Acabou que ele ficou injuriado, a Audi levou de novo e ele se mandou da Porsche, e foi seguir a modinha, migrando pra Audi, que também queria colocá-lo numa vida de gado, tendo que correr LMS, ALMS, PQPLMS e na DTMLMS, e volta a correr em Le Mans, mas, sentiu nna pele o que é ser atrapalhado ao continuar um domínio, abandonando, Lucas Luhr e Alexandre Prémat “agradecem”. No ano seguinte, conseguiu terminar a corrida, em 4º. Tom Kristensen (acho que nem preciso terminar essa frase). Na DTM, nada fazia. Parece que ele não curte muito corridas de média duração. Em 2009, ele e todos os colegas de equipe foram prejudicados com o vazamento de informações promovido pela Peugeot, que conseguiu criar uma WikiLeaks com as informações roubadas da montadoras alemã, e, ele abandonou e a Paugeot cortou as asinhas dos alemães. Será? No ano seguinte, mostrando que só acrescentará algo pra sociedade correndo com protótipos, vai pros EUA morrer de frio no inverno deles, e lá, conhece Timo Bernhard, um compatriota que preferiu ficar vendo stars & stripes forever ao invés de ficar comendo salsichões e Fraüleins e Romain Dumas, um francês que, ao sair de seu país, resolveu finalmente tomar banho e que estava num dos Audis figurantes, com o Bernhard e com o Premat, apresentados por João Barbosa, Terry Borcheller e Ryan Dalziel, os 3 caras que o ajudaram a Daytonar a concorrência em Daytona. Um novo trio formado e Mike volta pra Le Mans bancando o poderosão, tentando por medo no Kristensen, que estava lá pra tirar a graça vencer de novo a corrida. Após milhões tirados do próprio bolso som terapia, e assistindo exaustivamente Tropa de Elite pra finalmente entender o “Conceito de Estratégia”, e prepara Bernhard e Dumas pra vencer a árada, e conseguiram! Alguém venceu o Kristensen! Run to the Hills! No 2º ano, já cheio de marra, começa a planejar o bi (Ui!), o tri, o tetra (É TETRA!!!), o penta, o hexa, o hepta, o octa e o ênea, pra acabar com a marra do dinamarquês, mas, como Porsche e Ferrari conspiraram lá da LMGTE pra acabar com a Audi, pra, em 2012, construírem LMP1s sem nenhum tipo de estorvo, ele nada conseguiu. Um piloto da Porsche quebrou seu pé, enquanto os outros 2 que pilotavam o carro junto com os 2 que estavam de fora na Ferrari que quase matou Allan McNish explodiram uma bomba de fedor na garagem da montadora. E, graças a conspiração, se bobear, só ano que vem que ele finalmente será bi, mas, não se entregando ao Lado Roxo da Força.