Mulher alemã

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa
Frauleinpre.jpg Desciclopëdia über alles in der welt!!!

Estä arrtigö é alemon! Issö querr düzerr que ele é parrte dö conspürraçon gerrmänica parra inwadir ö Frankreich por trrás öutrra wez. Non faça scheiße, öu te porremos de quatrro nö cörredorr polonës.


O melhor método para conquistar mulher alemã.

Mulher alemã é aquele exemplar de ser humano do sexo feminino oriundo da Alemanha, país famoso pelo Nazismo, pelo consumo diário e a todas as refeições de cerveja, e pela gastronomia de merda (que se baseia em salsichas, consumo excessivo de carne, chucrute e pão).

Aparência[editar]

Alemãs na sua atividade favorita.

Alemãs em geral têm caras de travesti que começaram a fazer tratamento hormonal depois dos 20 anos. Geralmente possuem queixos estilo lutador de vale tudo que deixam o Arnold Xuazneguer no chinelo. Contudo, apesar do corpo de travesti, as alemãs possuem lindos peitos, as quais são muito bonitas de olhar. Contudo, a bunda é extremamente reta, quase chegando ao nível de negatividade nadegal das asiáticas.

Apesar da cara de travesti, geralmente têm o rosto melhor do que brasileiras e portuguesas, mas, mesmo assim, há muita baranga na Alemanha, a maioria parecendo arremessadoras de martelo raivosas. É raro encontrar uma alemã jovem (na verdade, é raro encontrar uma alemã que seja jovem) que seja obesa, já que as alemãs gostam de praticar esportes e, geralmente, são atléticas, e sua gastronomia nacional é uma coisa que só consiste em salsicha e repolho, o que faz com que qualquer um se recuse a comer muito daquela coisa ruim. Contudo, após os 30 anos, esse quadro tende a mudar, pois, por conta de um cronômetro genético que dispara quando essas piranhas recessivas terminam o chamado "Rodeio Alemão" (que será explicado mais abaixo), as loirinhas se tornam Honey Boo Boos repentinamente (e passam a se assemelhar às suas primas ratas de Trailer da Fatérica. Nessa época é quando as pele cor-de-rosa se casam e engordam de uma hora para outra, especialmente aquelas alemãs que vivem nas províncias.

Alemãs no Oktoberfest, o maior festival de cerveja do mundo, felizes ao saber que têm esse artigo na Desciclopédia.

As alemãs, à excepção das de Berlim, não ligam muito para a moda, e vestem qualquer porra desde que seja bem quente (casacão, cachecol, mantas, cobertor, fato de mergulho com regulação de temperatura) e de lã (as alemãs são afamadas por usarem "calcinha de lã"), já que por lá neva 11 meses por ano e no outro mês restante, chove: as fotografias do Califado de Gelo nas quais as neandertais com mutação genética aparecem todas decotadas e de minissaia são tiradas dentro de estúdio aquecido por lareira e são utilizadas para fazer propaganda enganosa de que no país há clima quente, ainda que a temperatura mais alta que a Alemanha atinge seja de 5 graus.

Comportamento[editar]

É sabido que as alemãs gostosas são mais entusiasmadas com o futebol do que por sexo.

Não é necessário voltar a dizer que as alemãs adoram cerveja e parece ser a única bebida que bebem. Essas cachaceiras com albinismo avançado vive para o trabalho e parece ser a única porra em que pensam além de futebol e suco de cevadis. Essas prostiranhas do gelo, são obcecadas por ordem, eficiência e essas porras todas. Na verdade, a Alemanha é o país que mais critica os países da Europa do Sul e dizem que estão repletos de gente que possuem um refinadíssimo senso de vadiagem, só porque tiram umas horas do dia para fazer outra coisa que não trabalho.

O Califado das Neves também está infestado de feministas raivosas e castradoras de manginas, as quais estão cagando e andando para a família (excepto as das províncias) e só querem é criar uma carreira de sucesso e tornar os submissos crioulos de gelo em subas Barbies particulares para passar maquiagem e trocar a saia dos feministos.

Isso é claramente photoshop e nunca aconteceria na Alemanha: a gostosa é morena e está sol.

As alemãs são frias, com um coração de pedra e sem senso de humor. Não tem cá dessas frescuras de mostrar sentimentos ou de chorar (ou de rir sem ser para a foto ou para uma caneca de cerveja). No quesito frieza e falta de coração, as alemãs se assemelham muito às japonesas, ou vampiras de almas - com a diferença que a japonesa finge submissão, educação e gentileza só para ir sugando sua alma aos poucos.

Além disso, as as travestis das neves conseguem ser muito escrotas te mandando à merda bem na tua cara para depois se desculparem dizendo que são "muito frontais, diretas e honestas". Não leve a alemã para dançar porque ela não sabe (aquele estereótipo de mulher branca não saber dançar vem das alemãs). Se você tiver excesso de sal no sangue ou colesterol alto, não aceite os cozinhados de uma alemã.

Vida Sexual ou Rodeio Alemão[editar]

Reza a lenda europeia, que as alemãs são péssimas quando o assunto é sexo e que gostam mais de cerveja, pão e futebol do que de atividades sexuais: como estiveram tanto ano sob domínio Nazi, aprenderam a ser submissas e frias.

Isso pode ser verdade para alemãs depois dos 30, quando essas prostiranhas terminaram de realizar o ritual do Rodeio Alemão. Tal ritual consiste em viajar o mundo de todas as formas possíveis, principalmente por programas de intercâmbio, e sentar em todas as rolas que encontrarem pelo caminho. Ao contrário da lenda, as alemãs não são sexualmente reprimidas, mas apenas fingem que são depois dos 30 para tentarem arrumar um corno homem para ser seu brinquedinho marido.

Na sociedade de degenerados que é a Alemanha moderna, você ganha aplausos quando consegue perder a virgindade o mais rapidamente possível, principalmente com sujeitos exóticos com propensão ao crime. Por conta do passado nazista, os alemães envergonhados decidiram que é dever de todo cidadão do país ser um SJW fraco e emasculado. Dessa forma, as piranhas albinas viajam o mundo loucamente dos 16 aos 25 anos abrindo as pernas, o cu e todos os outros buracos do corpo para qualquer um que lhes mostre a piroca. Como viagens para países subdesenvolvidos são mais baratas, elas terminam sentando geralmente em rolas pretas, marrons, semitas e até mesmo amarelas. São anos e anos sentando em rolas diariamente, muitas vezes sem camisinha. Você pode comprovar isso pedindo para olhar para a vagina de uma Alemã com 25 anos. Garanto que vai estar tão gasta e alargada, que tu vai poder colocar o punho lá dentro sem o menor esforço.

Claro que nenhum desses brinquedos sexuais exóticos que essas putas rosadas vão encontrar durante o Rodeio Alemão pode ter qualquer esperança de ter um relacionamento sério com essas prostiranhas. Elas vão simplesmente conhecer o cara num boteco, praia, clube, etc, levá-lo para um motel barato, sentar em sua rola até que o cara fique seco de tanto gastar porra e suar e, então, a vadia albina vai sumir e fingir que nunca viu o rapaz na vida.

Ao voltar para casa, a mulher alemã vai fingir que isso nunca aconteceu e vai procurar um otário de sua terra natal que possa ser seu brinquedinho. Mas claro que, se em público elas vão agir como mulheres frias e sérias, em privado quase todas vão colocar infinitos chifres nos babacas albinos.

Para conquistar uma alemã, seja o Christian Grey do Mundo do Contra, ofereça-lhe um cão e combine seu encontro numa padaria ou cervejaria.

Alemãs Famosas[editar]

Outra Mulherada do Atlântico Norte[editar]