Neil Peart

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para navegação Ir para pesquisar
Neil Peart repousando.

Cquote1.svg Você quis dizer: Tom Hanks? Cquote2.svg
Google sobre Neil Peart
Cquote1.svg Quantos braços ele tem? Cquote2.svg
Alguém vendo Neil Peart tocando.
Cquote1.svg Tom Hanks?! Cquote2.svg
Você ao ver uma foto de Neil Peart.
Cquote1.svg SARAVÁ!! Cquote2.svg
Macumbeiro sobre Neil Peart.
Cquote1.svg Ele faz um batuque legal... Cquote2.svg
Outro macumbeiro sobre Neil Peart.
Cquote1.svg Eu o copiei, mas eu sou melhor! Cquote2.svg
Mike Portnoy sobre Neil Peart.
Cquote1.svg Irmão! Cquote2.svg
Luiz Fernando Guimarães sobre Neil Peart.

Neil Elcid Norris Peart é considerado um dos melhores bateristas da história do rock, e tocava na banda Rush e diversos centros de umbanda de toda a América. Nos últimos anos de vida praticava o futebol através de seu alter-ego, John Terry, jogando pelo time russo Chelsea FC e pela seleção de bambis inglesas.

História[editar]

Animal, um grande mestre e amigo imaginário.

Neil Peart nasceu em 12 setembro de 1952, em, Otário, extremo Norte dos E.U.A, vulgo Canadá. Começou a estudar bateria aos 2 anos, influenciado por Kurt Cobain, Raul Seixas, Beethoven, Sivuca e Junior. Seu mestre e companheiro de infância foi ninguém menos do que o célebre Animal, que após deixar de figurar em Alf, o E.Teimoso abandonou a carreira na TV e se dedicou a dar aulas de bateria. Peart foi um aluno dedicado, estudava bateria 30 horas por dia 24 em seu quarto e 8 horas pelo micro e no tempo vago, dedicava-se à colecionar pratos, peles e baquetas. Sua bateria ficou tão gigante que era preciso 4 bancos para ele se sentar. Ao completar 12 anos de idade, Peart foi se refugiar em Bangkok, e não se sabe o que aconteceu nesse anos de vida oculta do mestre, nem mesmo os livros apócrifos da Bíblia revelam ao certo.

Kit de bateria de Terry Bozzio, seu amiguinho de baqueta. Precisa disso tudo?

Em 1971 Peart entra pra faculdade de engenharia de alimentos. Compões seu primeiro recital de bongô e atabaque, OPUS YYZ. Na páscoa de 1972 Peart ganha de seu avô um ovo de chocolate de 2 kg, dentro dele, Peart encontra um vale brinde com um prêmio que iria mudar a sua vida – Uma passagem para Suriname com todas as despesas pagas. No Suriname, encontrou dois sujeitos, o modelo fotográfico Geddy Lee e o fotógrafo da National Geografic, Alex Lifeson. A cultura de Suriname o cativou e a partir de então tornou-se membro da seita vodu. Em 1974 é chamado para entrar na banda mexicana Ramones, mas recusou a proposta e ao voltar ao Canadá entra no Rush mesmo.

Velhice e morte[editar]

Após 45 anos de banda, em 2015, Neil Peart resolveu pendurar as baquetas se aposentar. Desde então, para ganhar a vida, fazia workshops beneficentes em asilos e hospitais e concedia entrevistas a revistas sobre motocicletas. A última aparição dele foi no seriado da TV Globo Os Normais. Além disso, o extremo-nortista americano (ou "canadense" para os mais íntimos) também jogou no time russo Chelsea FC com seu alter-ego John Terry.

Em 2016, médicos apostaram a bunda apontaram abundantemente evidências de que as longas fritações na bateria as vigorosas performances no palco afetariam seu cerebelo, levando a um quadro de câncer e, finalmente, óbito em questão de alguns anos. Não deu outra. Peart faleceu no no dia 2 de janeiro de 2020, levando fãs de todo o mundo (uns quinze, aproximadamente) a um quadro de profunda depressão. A morte foi anunciada apenas no dia 10 de janeiro, devido à precariedade da comunicação até hoje na região do extremo-norte dos EUA: de lá muitas vezes só temos informações com vários dias de atraso.

Ver também[editar]