Niki Lauda

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa

Cquote1.png Não se preocupe Niki, seu rosto estava horrível mesmo antes do acidente Cquote2.png
James Hunt consola Niki Lauda após a tragédia de Nurburgring

Niki Lauda foi um famoso piloto de Formula 1, facilmente reconhecido pela cara de abacate amassado, reverenciado por fãs de automobilismo de todas as partes do mundo por ter sido o primeiro piloto-zumbi da história a pilotar um Formula 1, e ainda ter sido campeão duas vezes (com a conquista de 1 título antes de ter sido zumbificado, totalizam-se três conquistas). Morreu várias vezes durante sua vida, mas a morte oficial foi em 2019.

Carreira no automobilismo[editar]

Começo de carreira[editar]

O ingresso de Niki Lauda na Formula 1 não foi nada convencional para a sua época (algo que hoje em dia é até bem comum) que foi não depender de méritos mas sim do dinheiro, ao comprar sua vaga numa equipe medíocre. Ele juntou essa grana ao roubar as economias de sua família, juntando 30.000 libras austríacas (o equivalente atual a 1 milhão de reais em barras de ouro) para comprar uma vaga na equipe Minardi da década de 70. Como era uma equipe bem bosta, só ficava chegando em último em 1972, o seu ano de estreia, o vermelho daquele carro era só pra imitar a Ferrari mesmo.

Para 1973, falido, deprimido, derrotado, fudido e já feio, chegou a pensar em suicídio ao ter que guiar carros tão deprimentes. Mas insistente, fez um empréstimo num banco de 20.000 libras austríacas (o equivalente atual a 1 milhão de reais em barras de ouro)e correu na Sauber da década de 70, só chegando em último, porque era o máximo que dava para conseguir com aquele carro que tinha um motor de cortador de grama adaptado.

Ferrari[editar]

Falido a endividado após dois anos horríveis, a sorte sorriu para Lauda quando ele foi indicado por Clay Regazzoni para ser seu companheiro de equipe na Ferrari. Niki Lauda, que foi companheiro de Regazzoni na BRM, ficou conhecido por ser uma calculadora humana, calculando a cada curva a dureza ideal do volante, a pressão dos pneus, o torque do motor, a velocidade média em retas, e como a Ferrari estava com ausência de mecânicos e matemáticos em sua equipe, ter chamado Lauda foi providencial para ajudar Regazzoni a ser campeão de 1974. O campeonato de 1974 foi uma disputa entre Emerson Fittipaldi e Clay Regazzoni, que competiram até a última o último milímetro de costeleta o título daquele ano, onde a função de Niki Lauda era ajudar o amigo suíço a superar o brasileiro, função esta que Niki Lauda desempenhou muito bem, embora na última corrida do campeonato, todavia, infelizmente o carro de Regazzoni se arregaçou nos treinos de sexta-feira e a calculadora de Niki Lauda não incluía ajudar o companheiro de equipe construindo um carro novo do zero, e Lauda precisou doar seu carro para Clay, de modo que o pobre suíço teve que usar um carro meio destruído, chegando apenas em décimo primeiro, enquanto Fittipaldi marcava seus dois pontinhos para vencer o campeonato mundial daquele ano.

Niki Lauda então nunca mais atuaria como ajudante, e a partir de então seria sempre o protagonista quando necessário, tanto que em 1975 foi campeão com folga, afinal seu amigo Clay Regazzoni arregou e James Hunt ainda corria só pela Hesketh, então sem rivais, Lauda vencia o seu primeiro mundial.

Pessoas fazendo nada para tirar Niki Lauda daquela bola de fogo.

Porém, o seu feito que virou até filme, foi quando protagonizou o memorável campeonato de 1976. Com o Thor (interpretado por Christopher Hemsworth) como rival, Niki Lauda não se intimidou a estava prestes a ganhar o bi-campeonato com certa facilidade, já que era inteligente demais pro estúpido do Hemsworth, mas não contava que fosse bater em Nürburgring e que viraria churrasquinho carbonizado vivo dentro de seu carro. Apesar de morto, a Ferrari não tolera ser derrotada assim, então contratou alguns xamãs, e Niki Lauda foi ressuscitado como zumbi, com apenas poucas sequelas, como a ausência de uma orelha direita. Niki Lauda regressa epicamente como o primeiro piloto zumbi da história da Formula 1, mas a sua ausência em duas corridas, que foi o tempo que ele demorou pra ser ressuscitado, prejudicou a sua situação no campeonato, mas mesmo assim ele voltou com chances até a última corrida no Japão, onde chovia e Lauda decidiu abandonar, terminando o mundial apenas 1 ponto atrás do campeão James Hunt.

Por dó, a Ferrari permitiu Lauda corresse mais um ano na equipe, para não fazer feio em ser a primeira equipe da história a demitir um zumbi deformado, e ironicamente deu certo, já que Lauda seria campeão de 1977, o primeiro zumbi campeão mundial de Formula 1.

Brabham[editar]

Com medo de morrer de morte matada nos perigosos carros da Ferrari, Lauda decide mudar para a Parmalat Brabham em 1978, para juntar um bom dinheiro sem precisar ser pressionado por bons resultados, coisas que não dava pra conseguir naquele carro ruim. Com a memorável façanha de 9 quebras e abandonos consecutivos, aposentou-se pela primeira vez para ir cuidar de sua Companhia de Ultraleves, um hobby dele que virou sua profissão após a aposentadoria das pistas.

McLaren[editar]

No auge de sua feiura, ganha seu tri-campeonato mundial com vantagem de ½ ponto.

Após 2 anos afastado das pistas, após muita insistência Niki Lauda regressou para a Formula 1 em 1982, para guiar a McLaren da Marlboro. Ele jé era um zumbi, e um zumbi velho já regressando da aposentadoria, não conseguia mais ser o mesmo da década de 70 e só fazia número. Surpreendentemente até conquistaria o seu tricampeonato, e tudo graças à trapaça mal realizada de Prost no GP de Mônaco de 1984, francês que sempre usou os comissários a seu favor, conseguiu um modo de cancelar aquela corrida mais cedo, só que com isso ganhou apenas metade dos pontos previstos. Com isso, Lauda seria campeão com apenas 1/2 ponto de vantagem sobre Prost (após aquele ano, Prost melhoraria suas trapaças e nunca mais cometeria esse erro).

Em seu último ano na Formula 1, Lauda mal terminava as corridas, terminando 1985 num melancólico 10º lugar.

Diretor não-executivo[editar]

Uma vez aposentado, ficou vários anos sem ter o que fazer da vida, já que nem pra aberração de circo ele servia, já que sempre foi tímido. Voltou a ganhar destaque quando em 2012 passou a trabalhar para a Mercedes GP, com o cargo de diretor não-executivo, que nada mais é que "um cara famoso da Formula 1 que está ali só pra ser filmado por 3 segundos a cada corrida". Embora seu papel na Mercedes seja igual a nada, o fato é que foi sob a presença dele que Lewis Hamilton ganhou um montão de títulos mundiais.

Loser 2.JPG Niki Lauda já morreu!

Pega o pão que presunto já tem!

Clique aqui pra ver quem te espera no inferno

Schumacher dick vigarista.jpg
Buildphotoims4vd.jpg
v d e h
Pilotos da Fórmula 1