O Empreendimento da Arca de Noé

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa

Cquote1.png Você quis dizer: Titanic Cquote2.png
Google sobre Arca de Noé
Cquote1.png Nunca vi. Cquote2.png
Stevie Wonder sobre Arca de Noé
Cquote1.png Nem eu! Cquote2.png
Ray Charles sobre Arca de Noé

Arca de Noé[editar]

O barco foi construído por Noé, pela ordem de Deus, para acomodar a sua família, cerca de 50.000 espécies de animais e mais de um milhão de espécies de insetos, durante o dilúvio divino que poderia destruir toda a vida da Terra. Os não familiarizados com a história podem perguntar-se porque é que Deus destruíria quase todos os descendentes de todas as criaturas que tinha criado. Parece que Deus estava desgostoso com todas as suas criações humanas, exceto Noé e família. Este método de aniquilar os que nos desagradam tornou-se uma tática popular pelos seguidores Dele e outros deuses. O que é bom para Deus é bom para nós. O problema histórico do assassínio em nome da religião é que ninguém pode estar certo do que é que os outros consideram correto. Ou seja, um grupo de corretos contra outro grupo de corretos, geração após geração até os dias de hoje. É de admirar como tantos de nós escapamos. Apesar de ser considerado por alguns, um mau exemplo dado por Deus aos descendentes de Noé a história continua popular entre crianças. Fica claro que Deus gosta das pessoas boas. Deixa-as andar de barco com muitos animaizinhos. Mostra-lhes um grande arco-íris depois da tempestade. E vivem felizes para sempre. Até adultos gostam da história, embora a vejam como uma alegoria com uma mensagem espiritual, como Deus é todo poderoso e nós a Ele pertencemos, mesmo a nossa existência é lhe devemos. E ainda, o Criador espera que nos comportemos. Mas alguns tomam a história pelo valor literal.

Arca de Noé sempre miguxa, porque é lorota para crianças

E por falar “até os dias de hoje” como seria atualmente a organização para a construção da ARCA ???

A arca de noé[editar]

Autor desconhecido (Baseado em artigo do Overall Corporation Management and Busines).

Absalão era um homem que só se podia conceituar como justo. Particularmente era um apaixonado pela organização de forças de combate e no uso de armas avançadas, tais como lanças (foguetes) de grande alcance , setas (mísseis) orientadas e a última novidade bélica - o lançador de pedras (ogivas nucleares)! Era um verdadeiro líder.

Um dia, andava Absalão pela ravina, quando de repente - PUFF - uma nuvem de fumaça apareceu, acompanhada de uma voz tonitruante:

Cquote1.png ABSALÃO! Cquote2.png
Voz estranha sobre Absalão

Absalão prostrou-se. Só podia ser o Criador! Em Pessoa!

Cquote1.png ABSALÃO, NÃO ESTOU CONTENTE COM OS HOMENS. ESTÃO POLITIZADOS. GUERREIAM ENTRE SI E SÓ DEFENDEM OS INTERESSES PRÓPRIOS. O TRINÔMIO ADÃO-EVA-COBRA DEU NISTO... FAREI CHOVER DURANTE 40 DIAS E 40 NOITES, ATÉ COBRIR A TERRA DE ÁGUA, O QUE SERÁ CONHECIDO COMO 'O DILÚVIO'. QUERO QUE NASÇA UMA NOVA HUMANIDADE, DE HOMENS INTELIGENTES, PRÁTICOS E OBJETIVOS. VAI E CONSTRÓI UM BARCO PARA TI E PARA A TUA FAMÍLIA E LEVA PARA DENTRO DESTE UM CASAL DE CADA SER VIVO. TERÁS CENTO E VINTE DIAS PARA ESTE EMPREENDIMENTO. O MEU CONTATO CONTIGO É O ARCANJO GABRIEL. Cquote2.png
Deus sobre Absalão

PUFF!... e a nuvem desapareceu.

Absalão levantou-se lívido. O Criador o elegera gerador da nova Humanidade! Todas as suas ideias seriam programadas para o futuro! Mas, Absalão não conhecia nada de barcos nem de navegação! Quatro meses... era muito? Não. Pouco tempo! Era preciso resolver um problema técnico, construir um barco enorme - que objetivo!

Absalão rebuscou a memória. Conhecia um construtor naval chamado Noé. Embora Noé tivesse pouco estudo, era prático, objetivo e persistente em suas ideias.

Noé poderia construir-lhe o barco. Absalão seria o coordenador de um grande empreendimento e Noé seria o elemento técnico. Se depressa o pensou, mais depressa o fez. E foi falar com Noé.

Cquote1.png Meu caro, quero encomendar-lhe um barco... e dos grandes! Cquote2.png
Absalão sobre Noé Navios LTDA

Cquote1.png Sim, senhor, mas de que tipo, para que tipo de carga e que tipo de navegação?... Cquote2.png
Noé sobre pergunta de Absalão

Cquote1.png Sim, sim, Noé, isto são só detalhes. É um barco para grande carga e águas pesadas. Quero fazer uma longa viagem com a família e levarei tudo. Cquote2.png
Absalão sobre já meio irritado com as perguntas e tarefas

Cquote1.png Está bem, senhor. Temos aqui mesmo, nesta floresta, madeira de boa densidade, em quantidade suficiente. Acho que consigo arranjar dez bons carpinteiros e dez bons lenhadores e assim conseguirei construir o barco. Cquote2.png
Noé sobre Absalão

Algumas horas depois...[editar]

Mais tarde, Absalão chamou Roboão.

Cquote1.png Roboão, como você já deve saber, vamos construir um grande barco... Cquote2.png
Absalão sobre informações confidenciais dos céus

Cquote1.png Sim, chefe, já ouvi dizer qualquer coisa. Cquote2.png
Roboão sobre assunto chato

Cquote1.png O que você acha... Cquote2.png
Absalão sobre trabalho extra

Cquote1.png Deixa comigo, chefe. No recrutamento da última batalha pagamos oito dinheiros a valentes combatentes e estes são apenas carpinteiros. Temos cinco recrutadores e dez examinadores, para a fase de seleção! Cquote2.png
Roboão sobre milícia formada

Cquote1.png E quanto ganharão? Cquote2.png
Absalão sobre dinheiro que vai sobrar para si mesmo

Cquote1.png O salário desta equipe varia entre oito e dez dinheiros, por serem especialistas. Chefe, há um pequeno problema. Não quero responsabilidades com o numerário e não sou bom em contas. Não acha melhor termos um homem para a gerência financeira do empreendimento? Cquote2.png
Roboão sobre já clareando que não ia dar muito dinheiro para o grupo

Cquote1.png Bem lembrado, Roboão, mas não conheço nenhum e deve ser um homem de confiança! Cquote2.png
Absalão sobre emprego no papo.

Cquote1.png Bem, chefe, podemos fazer uma seleção entre candidatos. Vou já tratar disso. Cquote2.png
Roboão sobre garantindo dinheiro pra si.

O Empreendimento[editar]

O empreendimento crescia de vento em popa. As equipes de recrutamento e seleção já estavam em plena operação. As finanças já tinham um responsável. Mas onde colocar este pessoal? Absalão partiu, com o seu habitual dinamismo, e depressa adquiriu uma cabana de madeira com espaço físico e alguns equipamentos empoeirados caindo aos pedaços, de uma firma falida e alienada pelo poder judiciário, contratando de imediato pessoal de supervisão e segurança de terno e gravata (isso para dar uma boa impressão).

Cquote1.png Senhor Presidente, está aqui o Engenheiro Noé com alguns desenhos e... Cquote2.png
Recepcionista sobre pessoa que chegou

Cquote1.png Minha filha, já lhe disse para não me interromper. Diga ao Engenheiro Noé que passe por aqui depois do almoço. Cquote2.png
Absalão sobre dando uma de empresário ocupado

Cquote1.png Pois é, amigo Jacó, preciso cercar-me de gente de confiança para o sucesso do meu empreendimento. Cquote2.png
Absalão sobre fingindo-se o maioral

Cquote1.png Certo, chefe! Sabe que pode confiar em mim. Mas o armazenamento da madeira necessita de um almoxarifado adequado e de um bom almoxarife. Para o controle, necessitarei de alguns arquivos, prateleiras e pessoal de apoio. Cquote2.png
Jacó sobre babando ovo do chefe

Cquote1.png Justo, Jacó. Encomende as prateleiras na carpintaria da povoação e fale com o Roboão para o recrutamento de pessoal necessário. Cquote2.png
Absalão sobre Não sou um empresário malvado!

Cquote1.png Ótima ideia, tenho um tio que é muito bom nisso... hoje em dia ele trabalha reformando fogões à lenha e consertando rodas de bigas. Cquote2.png
Jacó sobre Continuando a paga-pau

Neste momento entrou Cloé, a secretária do Presidente. Jacó afastou-se discretamente.

Cquote1.png Senhor Presidente, o Engenheiro Noé telefonou novamente. Parece aflito para a aprovação de alguns desenhos. Cquote2.png
recepcinista sobre Notícia

Cquote1.png Ora, este Noé! Sempre querendo me confundir com minúcias sobre densidade de madeiras e outras bobagens. Ele sabe que sozinho não posso me responsabilizar pela aprovação desses desenhos. Diga-lhe que nomearei um Grupo de Trabalho do Barco, o GT-BAR, para me dar o parecer. O rapaz é bom em projetos, mas não entende nada de custos ou de administração! Eu o conheço muito bem ele é o meu cunhado... Cquote2.png
Absalão sobre Já começando a infringir as leis marítimas

Dias Após[editar]

Passaram-se quinze dias e o organograma proposto já estava na mesa do Presidente.Uma Diretoria das Coisas (DC), uma dos Investimentos (DI) e uma do Barco (DB).

A Diretoria do Barco já tinha montado um laboratório especializado para a medida de densidade de madeira e análise de fungos e carunchos.

A Administração, em apenas quinze dias, já tinha elaborado as provas de seleção para arquivistas de desenho naval, para a seleção do pessoal de recrutamento e seleção de pessoal de apoio etc.

Naquela noite, Absalão estava cansado, mas não pôde esquivar-se de receber Noé na sua residência.

Cquote1.png Senhor Presidente, desculpe-me ter vindo interromper o seu descanso, tentei por vária vezes ligar no seu celular e este acusa fora de área, mas o projeto já está pronto e as pessoas do GT-BAR ainda não foram nomeadas. O material já está especificado, porém o laboratório ainda não emitiu o laudo de aprovação da madeira e não consegui os carpinteiros para o corte... Se o senhor pudesse autorizar-me a trazer os carpinteiros conhecidos da povoação... Cquote2.png
Noé sobre dando trabalho para o chefe

Cquote1.png Não se preocupe, Noé. Falarei amanhã com a Diretoria do Barco e apressarei a contratação do pessoal. Noé, apesar de ser o Presidente, não posso mudar as normas da ISO e da organização, autorizando diretamente os seus carpinteiros me compromete muito. Não se preocupe que o empreendimento está nas mãos de profissionais, os melhores! Boa noite, Noé... Cquote2.png
Absalão sobre Falando baboseiras para noé ir embora e ele pegar a Secretária

Noé afastou-se sem entender muito bem. Tinha sido convidado para construir um barco. Agora está às voltas com normas, instruções, regras, exames de seleção etc...

Vigésimo quinto dia[editar]

Vigésimo quinto dia, manhã linda. Cloé anuncia a chegada de Roboão.

Cquote1.png Entre, meu velho, sente-se. Aceita um leite de cabra? Cquote2.png
Absalão sobre Preparando veneno

Cquote1.png Sim, chefe, obrigado. Por falar nisso, mandei distribuir café com leite de cabra logo de manhã e de tarde, para todos. Mas, para isso, foi necessário adquirir duzentas cabras, alugar um pasto e contratar cinco pastores e pessoal para restaurante. Cquote2.png
Roboão sobre mais gastos

Cquote1.png Você é um bicho na administração de pessoal, Roboão! Merece uma promoção. Afinal, já temos quinhentas pessoas no efetivo e todas passaram por você. Cquote2.png
Absalão sobre Mais uma pitada para ninguem suspeitar

Cquote1.png Modéstia. Cquote2.png
Roboão sobre Baba-ovo

Cquote1.png Roboão, não quero incomodá-lo e nem por sombra desfazer o belíssimo trabalho da sua equipe, mas... seria melhor terceirizar o refeitório. Sabe, Noé disse-me que ainda não foram contratados os carpinteiros para o corte... Cquote2.png
Absalão sobre pronto para entregar o veneno

Cquote1.png Ora, chefe, Noé é um sonhador. Só pensa nos seus desenhos. Já lhe expliquei a complexidade da contratação. Por exemplo, já aumentamos a oferta para seis dinheiros, mas todos os carpinteiros foram reprovados no primeiro psicotécnico. Se não passam neste exame, imagine nos outros. E também tivemos problemas com o sindicato! Cquote2.png
Roboão sobre Aumentando o papo

Cquote1.png Realmente, você tem razão, Roboão. Noé desconhece o que é uma boa organização. Oriente as coisas como achar melhor. Se o contratei é porque tenho total confiança no seu trabalho... Cquote2.png
Absalão sobre Se esquece do veneno

A reunião[editar]

Quadragésimo dia - Finalmente a primeira reunião de Direção. Era o momento solene das grandes decisões de cúpula do empreendimento. O Presidente, satisfeito, relatava que o empreendimento era o orgulho, orgulho era tanto, que a cada quinze minutos se transmitia propagandas do empreendimento através de alto falantes na praça para os habitantes da povoação. Havia muito trabalho e emprego para todos. Um orgulho.

O Diretor do Barco ponderou que faltava papel para o desenho e que a eficiência dos carpinteiros era baixa. Noé tentava suprir a falta desenhando em folhas de bananeira reaproveitado folhas de circulares, cortando as árvores à noite, após o expediente. Quando o Diretor do Barco propôs aumentar o salário de Noé para quinze dinheiros o Diretor das Coisas explodiu, seguido de perto pelo Diretor dos Investimentos.

Cquote1.png Estes técnicos não funcionam e ainda querem aumento! Sr. Presidente, sou de opinião que devemos aumentar a equipe de recrutamento e apertar as provas de seleção. Cquote2.png
Diretor sobre Reclamando

Cquote1.png Perdão, Acontece que não temos o apoio necessário. O senhor está desviando recursos para a área de operação do barco, recrutando timoneiros, veleiros etc. Cquote2.png
Diretor 2 sobre Protejendo Noé

Cquote1.png Mas é lógico e a campanha do prefeito? ...temos que agir com antecedência no treinamento. Cquote2.png
Absalão sobre Já adicionando dinheiro que vinha do poder público

O aviso[editar]

Octogésimo dia - Absalão passeava na ravina. Estava orgulhoso. Era Presidente de um empreendimento que já contava com mil e duzentas pessoas. As preocupações de Noé eram infundadas. Não passava de um tecnocrata pessimista. Felizmente já havia o Diretor do Barco para despachar com Noé - menos um aborrecimento. Subitamente - PUFF - uma nuvem de fumaça!

Como construir uma arca de Noé

Cquote1.png O Arcanjo Gabriel! Meu amigo! Cquote2.png
Absalão sobre Já se achando grande amigo de Deus

Cquote1.png '"ABSALÃO! PÕE GENTE DE MAIS PESO NO TOPO, CASO CONTRÁRIO O EMPREENDIMENTO AFUNDARÁ!" PUFF!"' Cquote2.png
Arcanjo sobre Avisando

Absalão correu à cabana de Noé.

Cquote1.png Noé, Noé, ponha um convés no alto do mastro. Vou colocar as pessoas mais pesadas em cima! Cquote2.png
Absalão sobre Preparando as novas instalações do barco

Cquote1.png Mas, Presidente, isso é impossível!... O convés é sempre em baixo e o mastro aponta para cima. Se aumentarmos a massa do topo, o barco vai emborcar! Cquote2.png
Noé sobre Fazendo-se de difícil

Cquote1.png Não discuta comigo, Noé. O Arcanjo mandou colocar homens pesados no topo e é isso que vou fazer... e cumpra as minhas ordens! Cquote2.png
Absalão sobre Já deixa quem é o maior

Noé não retrucou. O Presidente estava nervoso. Noé correu à Secretaria Geral, mas lá encontrou o Comandante de Operações do barco, que já o esperava há duas horas.

- Noé - disse o Comandante - o seu projeto não anda! Vou treinar os meus homens sem barco? Vou pedir a aprovação do Presidente para adquirir um simulador, caso contrário não me responsabilizo.

Noé balançou a cabeça e retirou-se. Realmente o que ele conseguira? Uma meia dúzia de desenhos em folha de bananeira digo, em papel reciclado. Isto em oitenta dias. Estava acabrunhado e sentia-se um incompetente. Mas o que estaria errado? O Presidente entrou furioso desabafando com Cloé.

Cquote1.png Veja só! Faltam apenas quarenta dias e a Divisão de Importação diz que há crise de transporte e a madeira só chegará no prazo médio de dez dias! Quero uma reunião de emergência com os diretores. Vou despedir o carpinteiro e contratar outro. Se não fosse o Roboão com a equipe de recrutamento, não sei o que seria... Cquote2.png
Absalão sobre Tempo perdido

Cquote1.png Mas, Presidente, faltam quarenta dias para quê? Cquote2.png
Secretária sobre Exclamação de Absalão

Cquote1.png Para o dilúvio, minha filha, para o dilúvio! Ele vem para acabar com tudo! Envie o seguinte e-mail: Cquote2.png
Absalão sobre Se fazendo de Atualizado

De: Absalã[email protected]

Para: [email protected]

Solicito prorrogação prazo restante 40 dias. Dificuldades intransponíveis. Crise internacional de madeira. Prostrações. Absalão

Resposta[editar]

O ruído monótono da ventoinha da CPU deixava Absalão ansioso, mas a resposta veio finalmente:

De: [email protected] Para: Absalã[email protected] NEGADO...

Absalão desesperou-se e partiu para a reunião. Cloé, pelo telefone interno, se espalhou a história da vinda um tal de Plúvio.

Mais dias![editar]

Octagésimo segundo dia.

Cquote1.png Cloé, ligue para Roboão. Cquote2.png
Absalão sobre Preocupado com os problemas

Cquote1.png Roboão? Aqui é o Presidente. Já recrutou os carpinteiros? Cquote2.png
Absalão sobre Preocupado com o dinheiro

- Infelizmente não passam nos testes, meu chefe. Até já afrouxamos as provas, mas o exame de reconhecimento de tipos genéticos de caruncho reprova todos!

- Presidente - interrompeu Cloé - é urgente: há dois pastores na ante-sala e dizem que há crise de leite nas cabras e não vai haver distribuição aos funcionários durante uma semana - o suprimento não providenciou erva durante a seca do pasto... Qual é a sua decisão? Ligue para Roboão e pergunte a ele porque não terceirizou o restaurante?

Centésimo dia.

- Sr. Presidente - disse o Diretor dos Investimentos - dentro de uma semana vencem os nossos empréstimos internacionais, com as povoações vizinhas, e o caixa não é suficiente. O nosso empreendimento economicamente vai muito bem, mas financeiramente... estamos em crise. Sugiro uma redução de pessoal...

- Sr. Presidente - tentou timidamente o Diretor do Barco - acho que o Diretor dos Investimentos tem razão, mas não prometemos ao CRIADOR que o barco estaria pronto em breve?

- Mas... sem material!

- Como posso fabricar madeira? - gritou o Diretor das Coisas - o seu laboratório não acha a madeira local apropriada e há crise de transporte! Os carpinteiros são incompetentes... e esse tal Noé! Que fez ele até agora? E ganha dez dinheiros...

- Senhores! - falou gravemente o Presidente. Todos o olharam esperançosos. - A situação do empreendimento é razoável, mas temos que tomar uma atitude mais séria quanto ao projeto do barco...

- Presidente, não quero interromper, mas nos nossos arquivos não constam os exames de admissão de Noé e nem sabemos se ele é engenheiro naval!...

- Sim, a culpa é minha - falou o Presidente - mas quando convidei Noé ainda não existiam as normas do empreendimento. Sou, portanto, obrigado a despedi-lo. Queira providenciar através do Roboão.

- Cloé...!

De: Absalã[email protected]

Para: O [email protected]—SENHOR, Tenha piedade...

De: [email protected]

Para: Absalã[email protected]—E a última vez que digo "Dentro de 2 meses farei chover quarenta dias e quarenta noites, até que toda a Terra esteja inundada e toda gente má morra afogada. Mas quero salvar os homens de bem e um casal de animais de cada espécie. Ordeno que você termine a construção da arca para salvar os eleitos. --- E, entre raios e trovões, deu as instruções finais. Absalão tremeu de medo. O Senhor continuou trovejando e ameaçando : "é melhor que a Arca fique pronta no prazo ou todos morrerão".

De: Absalã[email protected]

Para: O [email protected]

- Perdoe-me, Senhor. (suplicou o Absalão.. completamente arrasado.) Fiz o máximo que pude, mas, só encontrei dificuldades imensas. Só problemas. Tudo começou ao tentar conseguir a licença de obras. Teria primeiro que obter uma licença da Prefeitura e pagar altas taxas para obter o alvará funcionamento do meu estaleiro. Depois foram com os vizinhos: eles alegavam que meu estaleiro estava numa zona residencial. Nisso perdi um tempão tentando convencer a Prefeitura de que minha atividade não prejudicava o direito alheio. Além disso, a Prefeitura queria que eu apresentasse uma procuração que me credenciasse como representante do Senhor. Pediram também que eu apresentasse o talão de Notas Fiscais, CGC, CPF, autorização do Juizado de Menores para embarcar meus filhos menores e o bilhete de passagem dos animais devidamente carimbado pelo IBAMA. E eles acabaram me pedindo contribuição para a campanha do prefeito à reeleição. Com o Ministério da Fazenda foi outra encrenca. Não quiseram me registrar como pequena empresa alegando que a Arca estava muito grande. Ainda tentei me registrar como entidade sem fins lucrativos, uma espécie de ONG temporária. Nada consegui. Quiseram ainda que eu apresentasse a guia do Imposto de Renda sobre o lucro presumido e, em seguida as guias quitadas do IVI (imposto sobre vendas incertas). Pior, logo depois recebi uma intimação do Ministro da Fazenda me ameaçando de prisão porque dei início as trabalhos sem avisá-lo mediante requerimento devidamente protocolado na repartição central que só funciona de 9 às 11h. Precisando de dinheiro, fui aos bancos e não consegui empréstimos, mesmo aceitando aquelas taxas de juros. Afinal, eles nem teriam mesmo como me cobrar depois do dilúvio. O Corpo de Bombeiros exigiu um sistema de prevenção de incêndio, mas consegui subornar um funcionário. Até aí tudo bem, Começaram então os problemas com o Ibama para a extração da madeira. Eu disse que eram ordem suas, porém eles só queriam saber se o projeto fazia parte do PPA (Programa de Proteção Ambiental). Tentei falar com o relator, eles estavam brigando pelo cargo no Congresso. Neste meio tempo, o Ibama descobriu também uns casais de animais que estava guardando na nossa área de lazer e me aplicaram uma pesada multa. Quando resolvi começar a obra na raça, apareceu o sindicato exigindo que eu contratasse seus marceneiros com garantia de emprego por um ano. Aí, a Eletro Paulo me multou por causa da demanda pois eu estava usando muita energia elétrica para o corte das madeiras. Veio em novamente a Receita Federal, falou em sinais exteriores de riqueza e me multou também. O ministério dos Transportes exigiu o roteiro da Arca, o Departamento de Trânsito pediu minha habilitação de "timoneiro de Arca", o Ministério de Energia queria informações sobre o tipo de combustível da Arca, e não adiantou eu dizer que a Arca não tinha motor. Finalmente a Polícia Marítima, quiseram impedir a construção alegando que a Arca serviria para transportar drogas pelos rios da Amazônia. A Secretaria de Meio Ambiente pediu o Relatório de Impacto Ambiental sobre a zona a ser inundada, mostrei o mapa do Brasil, foi o único que não me multou ... !!!

Absalão terminou o relato chorando, percebeu que o céu clareava.

De: [email protected]

Para: Absalã[email protected]

CONCEDIDO PRAZO MAIS CINCO DIAS IMPRORROGÁVEIS, A ELEVAÇÃO DAS ÁGUAS ESTÁ EM ANDAMENTO.

Noé ficou realmente furioso com a notificação da sua demissão. Estava disposto a sair daquela terra e o caminho mais fácil era pelo rio. Partiu para a floresta e reuniu a família.

- Vamos cortar estas árvores, mesmo com bicho, construir um barco e sair daqui!

- Mas, Noé, não somos carpinteiros, nem sabemos fazer barcos...

- Não importa. Eu ensino vocês a cortar a madeira e já tenho os desenhos. Faremos uma Arapiraca, um pixurum...uma gambiarra como queira, e construiremos um barco para tentar uma vida melhor longe daqui! Levaremos uns animais a bordo para comer na viagem. Só falta meter mãos à obra!

A madeira começou a ser cortada. As partes mais bichadas eram descartadas. Em dois dias o casco do barco já tomava forma.

Centésimo vigésimo nono dia - O Presidente acordou preocupado. A madeira tinha chegado, mas só havia três carpinteiros no setor de carpintaria. A sua charrete seguiu o caminho mais rápido para o escritório, para evitar o mau tempo. Nuvens pesadas cobriam os céus. Absalão dirigiu-se diretamente ao escritório para passar um e-mail, mas Cloé só chegava às dez horas. Absalão dirigiu-se ao Centro de Processamento de Dados. Viu uma jovem lixando as unhas...

- O que se passa aqui? Não começou o expediente? Quem é você?

- Sou do "SAC", senhor. Já faz dias que não esta tendo ninguém por aqui. O pessoal do escritório andou dizendo que, com esse plano de classificação de cargos e salários e com essa política de promoções estariam me promovendo para o grupo de apoio, aqui não estará ficando ninguém... Se for de seu desejo, eu vou estar localizando a sua secretária para ela poder estar enviando ...

Por um breve momento Absalão esqueceu todos os seus problemas e falou consigo mesmo:

- Que diabos de dialeto fala essa mulher? "SAC"..., dizendo... , ficando..., estar localizando...enviando ... (gerundismo??). O que budega ela quer dizer com isso? Mas logo voltou à realidade e disparou para o escritório. No caminho encontrou Roboão que lhe disse preocupado haver um zum-zum-zum acerca de um tal de Plúvio, que poderia ser um terrorista, mas que a sua equipe... Absalão ficou branco e correu para o escritório foi em direção ao computador. Cloé já havia chegado, finalmente.

- Cloé. Cloé, rápido:

De: Absalã[email protected]

Para: O [email protected]

Dificuldades com projetista atrasam empreendimento. Solicito prorrogação de novo prazo.

A resposta foi imediata:

De: [email protected]

Para: Absalã[email protected]

PRORROGAÇÃO NEGADA.

E começou a chover...

Absalão saiu correndo, seguido por Jacó. Derramava água. Ambos corriam morro acima, com a água nos calcanhares. Em pouco tempo já estavam com água pela cintura. Era cada um por si! Quando eles já se debatiam, com água pelo pescoço, Jacó ainda teve tempo de gritar para o chefe, apontando para a enxurrada:

- Chefe, veja, há um barco vencendo as ondas! Veja na proa... está escrito... A ARCA DE NOÉ!

Nota do co-autor. Outro fato que mais me intriga foi: Dias antes da elevação das águas...

Assim, quando Deus mandou pegar exemplares de todos os animais que habitam sobre a terra, Noé, que era sábio porem apavorado, apressou-se em fazer a vontade de Deus, que é sempre proporcionada ao homem. Colocou dentro da arca casais que foi possível a ele coletar. E nessa proporção que Deus mandou construir a Arca, inclusive com as medidas. E, porque Deus quis que se conhecesse exatamente como era a arca, deu inclusive suas dimensões e como haveria de calafetá-la. Desse modo, os matemáticos, vendo que não é possível colocar "todos" os exemplares em conforto absoluto dentro do volume daquela arca, concluem o sentido da palavra "todos", adequado àquele santo homem que foi Noé, ele era muito sábio, porém não biogeógrafo.

Momentos antes...

Após a construção, Noé escolheu um casal de cada espécie vivente e colocou-os a salvo na enorme embarcação, pronto para enfrentar o terrível dilúvio que assolaria a face da Terra. Não havia tanto tempo para cadastramento das espécies, na pressa vamos... vamos... anda mole. Mas quando ele fechou a porta da Arca, surgiu um grande problema a ser resolvido: As donas Galinhas e as Sras Peruas no tom cacarejante e empinado – Noé, olhe no canto... Quando Noé viu os dois veadinhos de mãozinhas dadas, alegres e saltitantes, à base do pontapé ele quase afundou a Arca, com bicharada e tudo.

- Putz o que eu fizzzz???

De acordo com as leis da Mãe Natureza, o par do veadinho deveria ser a veadinha. Mas alguém já viu alguma veadinha? Na Arca tinha de tudo, até casal de Unicórnio..., mas veadinha não tinha. E quem seria o par do veadinho?

Dessa forma que o veadinho se apresentou acompanhado de outro veadinho, e isso foi o demais para Noé, um sujeito muito conservador. Queria de tudo tirar a força do barco...Uma cena até que interessante, ver todo aquele reboliço, porem alguns adeptos da neoideologia de uma ong GLS, se manifestaram contra a vontade de Noé. Com todo esse rebú, alguns incomodados chamaram as autoridades competentes...

De imediato a Arca foi cercada pela guarda costeira, a esquadra toda mobilizadas com seus giroflex e holofotes acionados, e helicópteros de emissoras de TV e seus repórteres, jornalistas, fotógrafos dirigiram-se para lá:

– Estamos sobrevoando e transmitido com exclusividade ao vivo, aqui você esta vendo uma grande embarcação... confusão generalizada, grande movimentação... .

- Esse é o nosso repórter aéreo que chega a uma reportagem mesmo quando ela não aconteça. Tem mais noticias Comandante?

– Não, não. Estamos aguardando o nosso bote link para transmitir lá de baixo...Olhe Datdenna o nosso link já se posicionou e estamos aguardando o sinal... - Datdenna estamos no interior, aqui na embarcação a cena e de muita confusão o dono do barco o, ooo tal Sr Noel e está dando porradas nos...ixiii...

– você esta vendo ao vivo com imagens de Paulo Zerro. Comandante Raphael, ... quem está no nosso link.

– é o nosso, nosso repórter cinematográfico Percivaldo de Souza.. Datdenna a confusão toda se deu, é que, aqui no barco só se admite casais e como você está vendo tem um par...do mesmo sexo.

– É Noé e não Noel. Na minha embarcação só entra casais! Por mim afogo o veadinho – diz Noé.

– Vamos entrevistar os veadinhos. Estamos aqui ao vivo e aí, o e i a ioae - com boca meia torta e fala puxada.

– Sabe que é, é um preconceito sobre nos, afinal nos estamos vivendo em um mundo liberraaaal...

– É isso aí Nabdu!! Afirmou Nadbunda.

- Olha, que acho, na minha opinião, e sem sombra de dúvida, todavia e um fato inusitado com imagens de Paulo Zerro, aqui na tela Jeçus, mostra só as imagens do veadinhos...as dos veadinhos pôo. Não podemos julgar sem uma prova conclusiva. Podemos, podemos até fazer uma enquête. Você que é telespectador poderá dar a sua...opinião. Se você estivesse no lugar do Noé que faria. Ligue para 0800-412121 levaria Nadbuda ou para 0800-412424 deixaria Nadar Nadbunda como Noé quer...

- Datdenna um escândalo esta vindo a tona, enquanto o foco estava nos veadinhos a Policia Federal acaba estourar um barraco dentro da Arca e descobriu dois pares estranhos isto é: duas Gazelas e duas Antas...

Pois aqui, meu chapa, nem demore uma eternidade... os veadinhos as gazelas e as antas comemoram... Olhe ao seu redor...

Nota do co-autor (2) “Ente os anos de 1980 a 1990 (até hoje), muitos foram enganados por estórias fictícias de notícias televisivas ou divulgadas pela imprensa alegando que a Arca tinha sido encontrada em local completamente diferente. Os relatos referiam-se a uma estrutura em forma de barco a 15 milhas do Monte Ararate. Infelizmente, foram divulgados diversos testemunhos exagerados e enganosos sobre fatos e o local, freqüentemente denominado Local de Durupinar.”