Pari$ $aint-Germain

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
(Redirecionado de PSG)
Ir para: navegação, pesquisa


Paris Saint-Germain Football Club
Escudo do Paris Saint-Germain.png
Brasão
Hino Puta que um pariu Champions League o Paris nunca viu!!!(E nem vai ver)
Nome Oficial Pari$ $em-Germano
Origem Bandeira da França França- Paris
Apelidos Puta que pariu
Torcedores Tudo Puta!
Torcidas putões vaidosos
Fatos Inúteis
Mascote Seu Pau Pai
Torcedor Ilustre Giovanni Vincenzo Infantino e Neymar jr

estadio = Parc des Pringles

Estádio {{{estadio}}}
Capacidade
Sede Parrís
Presidente Ninguém
Coisas do Time
Treinador
Pior Jogador Nuvola apps core.png Choro Silva
Melhor Jogador Crystal Clear action bookmark.svg.png Neymaaaaaaarrr, Neymar, Neymar, Neymar... (aquele sambinha)
Patrocinador
Time
Material Esportivo Nikokô
Liga Campeonato Francês
Divisão Ligue 1
Títulos 6 vice da Champions league
Ranking Nacional 1.000
Uniformes



Cquote1.png Ét o merror time de toda la France Cquote2.png
Rei Luís 14 sobre Paris Saint Germain

Paris Saint-Germain Football Club, ou Pai Sou Gay, ou simplesmente PSG é só mais um time-modinha sem importância e acostumado a derrotas advindo da França que não ganha título nenhum fora da França.

História[editar]

Fundação[editar]

O Paris Saint-Germain foi fundado em 12 de Agosto de 1970, sendo um time relativamente recente. Foi criado porque os franceses queriam que em sua capital Paris tivesse uma equipe boa. Mas na verdade, o que aconteceu foi exatamente o contrário, e o time sempre foi ruim pra cacete como qualquer time da França.

A fundação do P$G se deu após a fusão entre os antigos Stade Saint-Germain e o Paris FC, com o resultado sendo uma merda total.

Década de 80[editar]

Na década de 80 ganhou apenas 1 mísero torneio francês, a Ligue 1 de 1985-86. Lembrando que nesta época o PSG era tão inútil e nada temido quanto AS Saint-Étienne, RC Lens, AJ Auxerre e essas porras que ninguém respeita.

Década de 90[editar]

Por algum motivo obscuro, o P$G se tornou um dos melhores times da França com o passar dos anos (grandes merda!), e em 1996 conseguiu ser o segundo time da França a conseguir ganhar um título internacional (O primeiro foi o Olympique Marseille ganhando a Liga dos Campeões da UEFA em 1993) ganhando o PSG a Taça das Taças, um torneio europeu extinto que reunia os times mais cagados de cada país.

Chegou a contar com jogadores famosos como Raí (marido do Zeca Camargo), Ronaldinho Dentuço, Punheta (Pauleta) e outros nada famosos, muito menos habilidosos e que valessem alguma coisa, já na dpecada de 90 e início dos anos 2000 se popularizando com time que despreza os jogadores franceses e se foca em contratar jogadores de países subdesenvolvidos à valores absurdamente milionários.

Anos 2000[editar]

Nos anos 2000, o PSG se fodeu muito e ganhou apenas 3 títulos: a Copa Totó da UEFA de 2001 (na modalidade Totó, ou Pebolim), e duas Copas do Rei Sem Cabeça (em 2004 e 2006).

Em 2008, o time terminou na décima sexta colocação do campeonato francês e a decadência estava visível, escapou escapando do rebaixamento porque os outros times da França eram tão piores quanto ele.

Chegada de Nasser Al-Khelaifi[editar]

Em 2011, um grupo de investidores do Catar resolveu brincar de Brasfoot na vida real e, pra isso, decidiram comprar o PSG, mudando primeiro o nome da equipe, adicionando os malditos cifrões no nome e no escudo (porque hoje em dia o futebol é dinheiro e foda-se o resto). Com o dinheiro, vieram jogadores mais conhecidos, habilidosos e principalmente mercenários, vieram mídia e também os títulos (alguns deles trocados por vidas no Candy Crush Saga). Hoje, graças aos sheiks donos do time, o Pari$ $aint-Germain é mais um time turbinado por dinheiro ilegal manchado por petrodólares e que virou modinha entre todos os fãs modinhas do futebol europeu

Fiascos europeus[editar]

Apesar de todo podre de rico, o máximo que o PSG consegue é ser campeão francês (e olha que pela Ligue 1 de 2011-12 quem foi campeão foi o pobretão Montpellier HSC). Devido ao seu tri-campeonato europeu passou a disputar a Champions League, e por algum motivo iludiu-se que poderia vencer o torneio europeu e se igualar ao Olympique de Marseille.

Suas aventuras de freguesia ao futebol envolvente e de formação de base espanhol começou na Champions League de 2012-13 ao ser eliminado pro Barcelona nas quartas-de-final. No ano seguinte na Champions de 2013-14 foi a vez de decepcionar perante ao Chelsea. Já em 2014-15 de novo perdeu e com goleadas para o Barcelona nas quartas-de-final, sem contar que na fase de grupos apanhou para os mesmos espanhóis mas se beneficiou pelo fato de que se classificavam duas equipes.

O maior fiasco de todos os tempos (Champions de 2016-17)[editar]

Para o PSG não basta contratar um elenco multi-milionário e criar um time repleto de estrelas inúteis que tem dificuldades de administrar um mero campeonato francês contra o pobre e humilde Nice, o time tem que fazer questão de protagonizar o maior papelão e fiasco de todos os tempos da Liga dos Campeões da UEFA. Primeiramente o time até passou da fase de grupos, por ter dado a sorte de precisar enfrentar equipes café-com-leite como Ludogorets Razgrad e FC Basel. Mas o jogo histórico foi pelas oitavas-de-final da competição.

Nas oitavas-de-final, após golear o FC Barcelona por 4x0 em casa, o PSG enviou um grupo de frangotes para o segundo jogo. O time honrou o estilo de jogo francês, baseados numa defesa apática, meio-de-campo sem criatividade, ataque sem inspiração e técnico que só reclama da arbitragem. O resultado foi uma vitória por 6x1 e classificação do Barcelona.

PSG de Neymar[editar]

Reação de Nasser Al Khelaifi, sheik e dono vitalício do PSG, ao descobrir que não pode comprar uma Chanpions League.

Após o fiasco na temporada 2016-17, o PSG decidiu apenas continuar fazendo o que sabe fazer de melhor, que é pagar fortunas monumentais em jogadores altamente superestimados, e isso resultou na contratação de Neymar pelo valor de 222 milhões de euros só de multa, confirmando que o sheik dono do PSG não tem mais onde enfiar esse dinheiro dele.

E tudo isso pra nada, pro torcedor ver o Neymar bater os pênaltis do Cavani, se contundir e tirar férias no Brasil com a Brunza Marquezine e nunca tocar para o Mbappé (e lembrar do companheiro francês apenas para chamá-lo para ajudar em alguma dancinha durante a comemoração dos gols). Tudo isso apenas para conquistar uma porcaria do campeonatinho francês de 2017-18 (onde jogam Dijon e Guingamp) e também a conquista da Copa da França (cujo adversário da final, para se ter ideia do baixo nível, foi o Les Herbiers da Série Z da França). Champions League? Nem pensar né, o PSG ainda é um time francês.

PSG Leaks[editar]

Como o PSG jamais algo decente apesar do investimento absurdo (lembrando sempre que campeonato francês não conta como algo que preste, devido ao nível técnico da competição ser similar ao da Taça Guanabara) a imprensa francesa que não tem o que fazer por causa da ausência de conquistas do time, fica focando apenas em fofocas. Por isso no final de 2018 revelou-se o escândalo do PSG Leaks, nome dado a mais de 100 fofocas vazadas sobre os bastidores do PSG, o que transformou o time, na época, numa espécie de reallity show A Fazenda, onde os jogos de futebol aos fins de semana seriam como competições para decidir quem seria o líder da casa e quem iria pra Roça. Essas fofocas incluíam propina para os jogadores aplaudirem a torcida (compreensível) e propina para os jogadores não falarem mal do técnico (compreensível), um dinheirinho chamado "bônus ética". Quando ao futebol na temporada 2018-19, venceu o campeonato francês de forma invicta e decepcionou na Champions mais uma vez (compreensível)

E os fiascos continuam (2018-19)[editar]

Parece que para ganhar uma UEFA Champions League não basta apenas ter zilhões de dólares, porque uma coisa que o dinheiro jamais irá comprar é tradição e respeito. Por isso mais uma vez o PSG decepcionou no principal torneio europeu, e mais uma vez numa oitavas-de-final, mesmo tendo vencido Manchester United fora de casa por 2x0, conseguiu o feito de ser o time mais cagão do mundo ao conquistar mais uma desclassificação em seu estádio ao perder por 3x1.

Torcida[editar]

O PSG é um dos times mais odiados da França que é um país que só tem time odiado. Muito disso se deve a sua torcida composta por torcedores-modinha (como chamam lá na França) que não tem vergonha de torcer para um time absolutamente artificial conhecido por contratar toda espécie de jogadores sem carisma, e quanto mais mercenário for um jogador melhor para o PSG.

Além da torcida-modinha, o PSG também conta com o apoio de torcedores mais tradicionais devido ao lema e nome do clube, afinal "Paris Saint-Germain" significa em francês a expressão "Paris Sou dos Germânicos", que remete à época da Segunda Guerra Mundial quando uma parcela da população francesa se via satisfeita com o domínio dos nazistas. Obviamente esta parcela era composta por masoquistas, que de tal forma se enquadram bem como torcedores do Paris Saint-Germain.

É conhecida como uma das torcidas mais chatas do mundo. Você vai ver um jogador do PSG falando bem de sua própria torcida. Nenhum torcedor realmente se importa com futebol e resultados, todos ali só se importam com fofocas, com as namoradas dos jogadores, onde eles tiram férias e esse tipo de coisa.

Atualmente, seus torcedores também são conhecidos como Neymarzetes. A torcida do PSG ter fortíssima atuação nas redes sociais, local onde se concentra a maioria dos torcedores do time.

O seu mascote é o goku super sayajin, representando de forma muito fidedigna a falta de identidade dos times que ganham dinheiro antes de ganhar história e torcida.

Títulos[editar]

  • Eliminação mais vergonhosa da história do futebol: 1 vez (oitavas da Champions 2016-17)