Paçoca

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para navegação Ir para pesquisar
Searchtool.svg Esse artigo é sobre a comida, se estava procurando pelo favelado personagem de Dudão, consulte Paçoca (Turma do Dudão).
Pão do Bowser.jpg Este é um artigo gastronômico.

Super Mario garante: "Todas as torradeiras tostam este artigo!"

Havaiana pobre.jpg Esty artygo é dy pobry!
Esty artygo é sobry koyzas dy póbry, peçowas póbrys
y o dono taméyn dévy dy sê un pobretãwn do karáy!

Cquote1.svg Você quis dizer: Pai soca? Cquote2.svg
Google sobre Paçoca

Paçoca como essa você nunca vai achar (No mínimo esfarelada).

A paçoca, ou capiroçava, do tupi po-çoc, "esmigalhar", do latim uruguayo: pai soca, "ato comum de incesto" é um doce tradicional caipiro-brasileiro-paulista feito à base de tijolo mole e farelento, a paçoca foi criada por um chefe tribal, chamado Araxinhoca, que em tupi, significa "chupador de mandioca". Consiste numa mistura de mandioca, farofa e sêmem.

É um alimento perigosíssimo, pois faz a pessoa engasgar devido aos farelos de farinha seca que ela tem, significando que farinha faz mal e faz mesmo! Também como todo doce mesmo de pobre se comer demais faz a pessoa engordar, então evite! E além disso dá diarréia devido ao fato de ser feita de tudo que ver pela frente, seja resto dos maquinários de comida, de bosta e até mesmo de casca de madeira, quem não teria nojo? É um doce bem bostinha mesmo, mas quem comer vai ficar viciado em comer que nem café e não é aconselhável consumir depois de alguns meses, pois é que fica mais pode ainda e dá ainda mais diarréia!

Também é usado em rituais bizarros para um deus indígena do mal, chamado Shirinhá.

Origem[editar]

Paçoca enrolada de Rua caso queira ter uma caganeira das bravas.

Considerada a 4ª maravilha mundial seguido de perto apenas pelo chocolate, bacon e peitinhos, não se sabe o verdadeiro motivo do que levou o Araxinhoca a criar essa merda de alimento para comer. Segundo as lendas indígenas, Araxinhoca criou num ritual em que o objetivo era socar o "pau", ou a pá (de madeira) em um buraco grande de com mandioca e farofa, mas o ritual deixou os deuses excitados, tanto que choveu coisa que até Deus duvida, o que deu "sustânça" aos farelos de mandioca e de farofa, formando assim a paçoca.

Cquote1.svg O gozar dos deuses, nos deu uma boa comida Cquote2.svg

Porém, atualmente, por este mesmo motivo abaixo e acima a paçoca é considerada ilegal.

Cquote1.svg Ilegal é o caralho!! Cquote2.svg
Algum imbecil sobre comentário acima

A paçoca, mesmo sendo indígena, é comido pela maioria não-indígenas, feito também por caipiras paulistanos e baianos de tudo que tiver esfarelado pela frente e pegando os restos de tudo que for moído, sendo esses farelos principalmente de trigo, cevada e restinhos de bosta de qualquer animal, sendo que quem inventou tinha um monte de restos de amendoim, então foi mostrado que ela é de amendoim. Mas essa é a paçoca caipira, pois a paçoca artificial ou moldada, a minoria dessas feitas, é feito de mais amendoim que esta outra, de mais açúcar que essa aí em cima são apenas restos disto e também de várias outras coisas industriais feitas principalmente para conservar.

Como o doce é caipira, seria obviamente lá no interior de São Paulo, mas a composição é muito baiana provavelmente tinha alguns muitos baianos lá, seria pois algum qualquer viu um monte de puta que pariu de sujeira no chão e era um imbecil pra aproveitar aquilo, mas era um monte de coisinha que era bom esfiapado, alguém o arrumou pra consumir depois e gostou disso, então pra ficar mais gostosa e sexy e saborosa, a indústria aproveitadora de coisas foi lá e arrumou essa coisa sujinha pra ficar com só amendoim sem outros farelos de outras comidas e arrumou uma açucarada que fizesse que virasse um doce que qualquer pobre come.

Proibição[editar]

Após muitas pesquisas, foi-se descoberta a verdadeira composição "paçocal". O resultado não agradou muito. Ilegalização na hora!! Além de que, segundo testes, verificaram que a paçoca também é um afrodisíaco para algumas pessoas, isto é, aumenta o apetite sexual. Mas no caso da paçoca, a forte atração pelos parentes. Mais um motivo para a ilegalização. A paçoca causa também muitos outros efeitos, todos diferentes de pessoa para pessoa. Atualmente, os paçoqueiros assumidos sofrem enorme discriminação principalmente pela alta sociedade. Hoje em dia, ela é vendida por traficantes em qualquer cantina, mercado e até mesmo em escolas a preços muito baratos, chegando a, no máximo, R$ 0,40. É um dos produtos ilegais mais acessíveis para a população, perdendo apenas para a maconha e para os gatinhos cheirosos. Porém, os mini-mercados tornaram-se grandes distribuidores, continuando abertos e vendendo essa merda até o fim dos tempos (ou não).

Sintomas e características[editar]

Um amendoim bem gordo, o principal ingrediente de uma paçoca.

Para saber se filho ou alguém come paçoca, é preciso que ele apresente pelo menos 3 dos sintomas abaixo. Segue:

  • Farelos por todos os lados
  • Olhos avermelhados por causa dos farelos
  • Roupas com farelos
  • Farelos por todos os lados
  • Farelos nas mucosas nasais
  • Farelos nas mucosas anais e vaginais
  • Sempre presente em Festa Junina, juntamente com o churrasquinho, barraca da pescaria e o bingo.
  • Deixa um monte de farelo marrom esverdeado no meio dos dentes, parecendo que a pessoa comeu diarreia.
  • Você fica o dia todo cuspindo amendoim, que beleza.
  • Cuspir farelos enquanto fala
  • Farelos por todos os lados
  • Incapacidade de falar palavras com a letra "f"

Paçoca de amendoim[editar]

Como já citei acima, a paçoca de amendoim seria uma variação da paçoca feita de amendoim e Açúcar conhecida por todo mundo, pois as outras variações foram reboladas com a bunda no mato por alguém que fez e preferiu essa mistura, embora outras ficariam boas se fosse misturada com açúcar, mas como ele era muito burro, fez só a de amendoim que tinha farelos de açúcar e preferiu assim e até vendeu ao invés de fazer outros tipos, como sempre uma comida fica conhecida do que é feita, embora tenha algumas que tenha vários tipos, como aqueles que podem ser recheados de várias coisas, inclusive fazer uma mistura nova por qualquer um.