Pago Pago

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa

Pago Pago é um paraíso de paz tranquilidade e falta de alimentos e água disfarçado de capital da Samoa Americana, um dos 50 estados americanos.

A sua famosa área urbana decadente e um cheiro de peixe podre que impregna as roupas de toda a população da cidade, perdeu mais de 50 indicações como patrimônio mundial da UNESCO porque os juízes da ONU desmaiavam de nojo antes de chegar no local.

História[editar]

Charlie, o Atum, símbolo de Pago Pago e grande rival do Barney, o Dinossauro.

Pago Pago é uma cidade que não tem apenas o nome de ridículo, o seu nome significa Falido Falido no antigo dialeto indígena. Foi descoberto e dizimado pelos etíopes durante a expansão do Incrível e Inigualável Império Mali, o que explica a maioria de população negra na ilha.

Durante a Segunda Guerra Mundial a marinha americana marca um duelo contra alguns ninjas japoneses em Pago Pago (japonês: Iwo Jima). Como os japoneses eram equipados apenas com armas de video-game, foram expulsos.

Hoje, Pago Pago uma mistura de zona urbana decadente máfia de atuns, trabalho escravo e muitas prostitutas asiáticas siliconadas comidas por marinheiros cansados de navegar durante meses no Oceano Pacífico comendo aquele cozinheiro japonês

Economia[editar]

A economia da cidade é baseada no turismo decadente que não oferece nenhum atrativo. Até havia um teleférico divertido que levava as pessoas para serem sacrificadas na cratera do vulcão, mas em 1980 um avião das Forças Aéreas Americanas se jogou contra os seus cabos durante o Dia da Bandeira como comemoração da época da expulsão dos kamikazes (ele não esperava que fosse morrer). Com essa atração comprometida e falta de dinheiro para consertar o teleférico até hoje, o turismo sexual tornou-se o novo atrativo de Pago Pago, com garotas tailandesas e filipinas menores de idade siliconadas e stripers.

Para a pequena população de família da cidade, a pesca e comércio de atum forma 98% da economia da cidade.

A cidade é financiada por contas bancárias de gente como o Maluf e Lalau.

Cultura Popular[editar]

Todo dia 14 de abril, a população da cidade para para comemorar o dia do James Cook, patrono da Oceania. Nessa festa popular, a população da cidade entra na selva da ilha e começa a catar cocos e caçar siris por entretenimento.


v d e h
Amerika Sāmoa

Bandeira da Samoa Americana.png