Pai de Família (série)

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa
Todo o elenco de "Pai de Família" reunido pra uma festa de fim de ano na firma, na sede da Ícaro Studios em Curitiba, PR. Apesar de ser a grande estrela, Jajá é humilde e faz pra galera café no cuador, pois no cuador é melhor e mais gostoso.

Pai de Família é uma deliciosa franquia brasileira de comédia pornográfica (gênero irmão da "comédia romântica", só que pra macho), da qual fazem parte três filmes canônicos bem gostosos, grandes e gostosos (que formam a "Trilogia das Laranjas"), além de vários spin-offs bizarros e alguns cu adrinhos. Apesar da grande cu alidade, é injustiçada, não tendo ganho nenhum Oscar, mas em compensação ganhou Oscaralho que é uma beleza.

Esta é considerada a obra prima do produtor de cinema Sandro Lima, que por conta das delícias demonstradas, tomou o lugar de Harvey Weinstein como co-presidente da The Weinstein Company, a qual prontamente renomeou para "The Ícaro Bears Cumpany". Assediar mulher não pode não sinhô, como diria um certo eletricista de Ceilândia o qual ainda não iremos mencionar para não dar spoiler do artigo, mas assediar macho virgem não tem problema, mas primeiro tem que trabalhar, e só depois pode brincar, né?

Todos os filmes canônicos da série são aclamados pela crítica especializada, especialmente pela Rotten Tomatoes no Reguinho, por serem como um tapa no rosto, no cara da sociedade, que não valoriza e nem tem respinto com o trabalho no duro dos ursos com mais de quarenta ânus, estes que são os que mais movimentam a rodinha da ecunomia do país.

Nas produções, todas financiadas pela Ícaro Studios com dinheiro de prostituição homossexual e da exportação de penisilina (similar a penicilina, só que mais deliciosa), é retratada a rotina de Jailson Mendes, que é apenas mais um pai de família como muitos outros por aí, daqueles que nunca fogem do pau, pelo contrário, que todos os dias acorda de quatro da manhã e vai trabalhar no cacete pra fazer o negócio do seu patrão crescer, só assim pra botar cacetinho e suco de laranja na mesa de seus entes queridos.

Machos[editar]

Jailson Mendes

Jajá queimando uma linguiça num churrasco pra vinte machos, esperando Guina trazer de picanha os quilos de carne pra 20 comer.

Jailson Mendes, também conhecido pelo seu nome de guerra de "Brazilian Bear" é o protoconista da série, um pai de família de quarenta ânus que, apesar de ser um bom funcionário, que primeiro trabalha e só depois brinca, vive levando comida de rabo do seu chefe, por relaxar nos momentos em que deveria estar dando no duro. Mesmo tendo que aguentar muita dureza e engolir muita coisa em sua laputa diária, Mendes está sempre com um sorriso no rosto, no cara, sabendo que a vida em si é uma delícia e deve ser aproveitada intensamente, por isso ele não desiste de dar tudo de si todos os dias, de dividir o que tem de melhor com quem quer que seja, assim sendo considerado por todos como uma pessoa bem aberta, na verdade bem arrombada mesmo.

Após o sucesso dos três filmes baseados em seu dia a dia, Mendes foi contratado por uma firma na cidade de Cu Pequeno, no interior da Bahia, para supervisionar a linha de produção da peça que você queria. Ao final do dia, também é sua função levar os carregamentos para Kauan Desu verificar se elas atendem ao padrão de qualidade proposto pelo INPAUPORMETRO. E se não atenderem, o mecânico nem vai mais querer essa porra também não, ele vai querer relaxar com o entregador.

Atualmente, Mendes é um cuzinheiro profissional, que através do YouTube, ensina para os internautas como preparar e consumir alimentos pintoterápicos, incluindo a sua especialidade, o salame de 25cm ao molho de chá de pau barbado.

Paulo Guina

Paulo Guina é um profissional multifuncional, um pau pra toda obra e pra todo macho, com mais de vinte e quatro especializações em seu cu rriculum ocae. Graduado pela Universidade de Manutenção em Caralhos, Hidráulises e Ocos (UNIMACHO), Guina está apto a exercer as funções de professor de escola pública no meio do mato, de ator machão, de servente de pedreiro que anda com o Kid Bengala, de limpador de piscinas na casa de loirinhas, de encanador especialista na lubrificação de mangueiras de fogão, entre outras especialidades. Os honorários por qualquer um de seus serviços é uma pegadinha, uma chupadinha em seu salame de 20cm. Vale lembrar que ele cobra adiantado, portanto primeiro tem que dar a pegadinha, e só depois ele vê o trabalho.

Professor Guina, também conhecido como Mestre Linguiça, dispõe-se a dar aulas particulares para os safados que querem passar de ano.

Sua técnica máxima secreta é o teletransporte, que ele usa para aparecer pelado, do nada, bem na frente de machos virgens. Ele usa esta habilidade para aparecer na frente de Jailson enquanto este está tomando suco de laranja no café da manhã, do Aluno Come Já quando este está vendo a revista do Vampeta atrás da escola e do Mangueira Boy, quando ele está se preparando pra ir pescar.

Nas horas vagas, Guina faz trabalho voluntário em uma ONG de Cu Pequeno, dispondo-se a oferecer aos ursos solitários um pau amigo. A demanda é grande e gostosa, e um desses necessitados é o próprio Jailson, que por não ter com quem brincar, todos os dias toma café da manhã sozinho olhando para o horizonte, esperando a chegada de seu macho encantado com uma varona de condão de 25cm.

Atualmente, Guina está fazendo um bico como empacotador de salsichas em uma fábrica de Curralinho. De vez em quando, ele aparece nos vídeos de cuzinha de Jailson para mandar todos os internautas tomarem no cu, algo que eles fazem mesmo.

Kauan Desu

Kauan curte dar uma dançadinha com os clientes para relaxar, antes de encaixar a peça que você queria em seu devido buraco.

Kauan Desu é o retrato fiel dos mecânicos brasileiros, não faz a porra do serviço direito e é folgado, só querendo saber de relaxar ao invés de trabalhar. Ele é um meocônico que fez curso no SEMACHO, mas nunca consertou um carro na vida, e entende caralho nenhum de veículos automotores, isso explica porque ele pediu pra Jailson trazer uma chave de roda pra consertar o motor do carro.

Em sua oficina (que na verdade tá mais pra desmanche, o negócio fica no meio do mato), local com as paredes cheias de calendário de homens sarado que se encaixam no perfil, Kauan fica o dia inteiro tentando consertar o motor do Fusca do Sandro Lima com uma chave de roda, mas sem sucesso. Se ele lesse o manual descíclope sobre o assunto, o serviço andaria.

A estrategia de Kauan para tocar sua oficina mesmo sem saber consertar nem Hotwheels é simples, mas eficaz: Ele pede pros clientes irem buscar uma peça que é difícil pra porra de encontrar, pois só é produzida em Cu Pequeno, algo que não pode ser conseguido em menos de 24 horas. E se o cliente demora demais pra trazer, ele não faz mais o serviço, alegando que agora quer relaxar. E assim ele dá uma comida de rabo no cliente, que é obrigado a consertar o próprio carro nu enquanto racha um parafuso e queima uma rosquinha.

Demacol

Demacol é o principal antagonista da trilogia do Pai de Família, por ser carente de beleza e de qualquer atributo positivo. Apesar de ser o responsável por quebrar o teu cu tabu de não terem beijos na série, Demacol é considerado a escória da escória, com suas atuações inexpressivas piores do que dor de barriga no meio da balada. Muito provavelmente Sandro Lima gastou todo o orçamento de "Pai de Família 3" em um bar gay, e ficou sem dinheiro pra contratar um ator minimamente decente. Os boatos que caíram do cu do Jailson dizem que Demacol só entrou pela cota mesmo, não a racial, a cota pra deficientes.

Demacol quando integrou o Machowar, dizendo Cquote1.png pega na guitarra do tio Cquote2.png pra Karl Logan.

Pra queimar ainda mais a sua imagem e a sua rosca, Demacol faz umas palhaçadas que são doentias demais até pro cara que costurou a Centopeia Humana. Na calada da noite, Demacol adota o nome de guerra de "Shemacol", e veste-se de princesa para satisfazer os fetiches peculiares de empresários gordos homossexuais que curtem serem enrabados como um porquinho da índia enquanto dão seus gritos de macho virgem. Além do cosplay de princesa da Disney, Demacol também se fantasia malmente de odalisca, de loira do Tchan (que na verdade tá mais pro Jacaré de peruca) e de guitarrista do Machowar.

Erick Munhoz

Beber um copo de suco de laranja pela manhã é um hábito muito comum na família de Erick e Jailson, só assim pra ter energia pra trampar forte no cacete o dia inteiro.

Erick Munhoz é o irmão de Jailson, um professor de filosofia que dá aulas na UNIMACHO. Assim como qualquer professor de universidade, ele é cumunista filiado ao PSOL (Putarias, Surubas, Orgias e Libertinagens) e socializa o rabo com toda a classe operária.

Erick tenta desesperadamente ser como o seu irmão famoso, mas não possui o carisma do velho urso. Para alcançar o patamar de Jailson, todas as manhãs, Munhoz o imita, tomando suco de laranja olhando para o horizonte, esperando a chegada de Demacol, que aparece do nada, pelado, balançando a benga e pedindo para ele trabalhar em seu cacete. Esta cena tá mais pra uma sketch de programa de humor do que pra delícia, e deve ser ignorada mentalmente.

A aventura mais famosa de Munhoz foi quando ele tava na Cracolândia dando aula de como fumar pedra pros seus alunos, em uma viagem mental proporcionada pelo seu cérebro derretido, ele chegou na selva do Acre, onde foi enrabado pelo Bob, o Construtor.

James Matarazzo

James e Alexandre Senna, no dia em que foi considerada a possibilidade de mudar o nome da cidade de Cu Pequeno pra Cu Médio.

James Matarazzo é o filho de Jailson com Guina, fruto da primeira vez em que um aparelho excretor reproduziu. Assim como suas duas mães, ele é uma delícia, cara, e é um dos queridinhos da Ícaro Studios e dos machos virgens que acessam o SoloBoys, pois é o futuro do pornô nacioconal. Atualmente, James é o rei dos spin-offs bizarros, em todos ele realiza um fetiche bizarro proveniente da Deep Web enquanto dá o cu pra algum nego feio aleatório. Suas atuações também bugam as cabeças dos machos que o assistem, pois é homo com atitude de hétero, com suas frases de efeito e de dominação como "quero sentir seus tomates no meu reguinho". Seu filme mais infame é aquele em que atua com Shemacol vestido de princesa, este que é considerado como a "oitava desgraça do mundo antigo".

O que James herdou de Guina foi a capacidade para ser pau pra toda obra. Ele é um médicuzinho muito bom e falontrópico, que visita regularmente a Tribo Papacu para realizar exames peculiares nos indígenas. Enquanto está na região, por ser um bom oraldor, ele também tenta conciliar os Papacu com os seus principais rivais, a Tribo Kidauânus. James é o único forasteiro que teve a honra de receber os curiosos símbolos de amor de guerra dos Kidauânus, sendo marcado tanto como ativo, quanto como passivo.

Poucos sabem, mas James também é um excelente boleiro, daqueles que metem bola no meio das pernas dos adversários. Todo final de ano, organiza uma pelada com seus amigos Richarlyson e Rogério Ceni, para arrecadar dinheiro para comprar consolos para os machos solitários de Cu Pequeno.

Mangueira Boy

Mangueira Boy palpitando em serviço que não entende, desrespeitando a extensa experiência de Paulo Guina com mangueiras. O garoto recebeu o devido cu rretivo.

Mangueira Boy é um moleque que não tira o boné nem pra dar o cu. Assim como seu apelido indica, ele é um fissurado por mangueiras, quanto mais grossa, grande e gostosa, melhor. Todo final de semana, ele gasta a sua mesada para comprar mangueiras de fogão, que não serão colocadas no fogão. Freud diria que ele tem uma fixação. Teu pai diria que ele é só um viadão mesmo que tem que levar borrachada.

Como parte de sua terapia sexual para livrar-se de seu vício peculiar, Mangueira Boy foi passar umas férias no meio do mato, onde acabou desenvolvendo um interesse novo, agora por varas de pesca de 30cm. Num dia, quando tava indo pescar uns pacus na lagoa, eis que Paulo Guina aparece do nada usando sua técnica de teletransporte, dizendo pro garoto que ia chover (tava um puta solzão de meio-dia) e que ele não deveria ir, que primeiro ele deveria dar uma pegadinha, e depois ele via a pescaria. Assim Mangueira Boy não resistiu, vaim, e acabou caindo de boca, mantendo até hoje o seu vício por objetos fálicos.

Jô Abdul

Jô Abdul discute com Demacol a possibilidade de compra do seu negócio preto, unificando assim a sua fábrica da peça que você queria com a loja de materiais de construção em Ceilândia.

Jô Abdul é um dos mais bem sucedidos empresários brasileiros dos últimos vinte e quatro anos, um visionário que fundou a primeira e única fábrica do mundo que produz a peça que você queria, componente automotivo fundamental para automóveis já muito rodados, com muita quilometragem. Esta firma é tão importante, que virou o cartão postal da cidade baiana de Cu Pequeno, ponto turístico mais visitado por machos virgens da América Latina, de acordo com pesquisas feitas pelo teu pai, que tá por lá também.

Jô também investe seu gordo capital para virar acioconista majoritário de fábricas de hidráulise e de chave de roda, consolidando-se como um dos mais importantes empresários brasileiros da atualidade, tendo presença forte no dia a dia de todos os machos virgens. Depois que trabalha bastante, ele pode brincar um pouco, o que o faz com Demacol, que ele contrata pelo preço de uma melancia de feira bem grande e gostosa. Com os seus duzentos quilos de pura banha e suas tetinhas caídas que acumulam uma argamassa preta por debaixo delas, Jô passa horas quicando na rola encardida, com cheiro de morte e cheia de esmegma grudado de Demacol, que fica parecendo um boneco debaixo do mamute.

Alexandre Senna

Depois que Alexandre Senna divulgou em rede nacional a existência de sua cidade Cu Pequeno, todo mundo anda entrando e saindo de lá na hora que bem entende, fazendo sua sujeira e deixando Cu Pequeno fedendo e largado.

Alexandre Senna é o prefeito vitalício de Cu Pequeno, um político cu rompido filiado ao PCOco que vive deixando rombos na poupança dos cidadãos cupequeninos, que nem ligam muito pra isso, até porque nem sentem mais nada quando metem a mão em suas poupanças. Mas antes dos tempos de fartura, Senna era um segurança de biqueira, que ganhava quinhentos conto por semana pra dar uma comida de rabo nos noias que cheiravam e não pagavam. Ele só foi ficar famoso quando fez um certo teste pornô na Ícaro Studios, onde deu o cu em troca de mil conto e uma peça que você queria.

Apesar de ser poderoso, Senna é humilde, e todo dia toma sucuzinho de laranja com seus amigos do povão, como o Índio, o Boliviano e um outro macho aleatório com cara de fezes. Certa vez, ele até deu apoio moral pro Índio, quando este disse que iria dar seu cu cabeludinho de macho para James Matarazzo, o médico em residência que tava fazendo uns exames peculiares em seus companheiros de tribo.

Índio

Índio bebendo aquele suco de laranja tradicional, antes de fazer aquilo que qualquer índio faz, nada.

Índio de Família é o cacique da Tribo Papacu, um indígena com cara de saco depilado que sofre com dores anais agudas, e que por isso todos os dias faz exames peculiares com o médico que está fazendo um trabalho voluntário em sua tribo, o Dr. Matarazzo. Ao final das consultas, as dores anais do Índio pioram, mas Matarazzo diz que isso faz parte do tratamento para acabar com a imunidade à delícia.

Seguindo os ensinamentos de seus antepassados, os cro-magnon que criaram o suco de laranja, todos os dias Índio ingere esta bebida pela manhã e, ao final da degustação, bate com o pau na mesa, em sinal de respeito as tradições milenares dos machos virgens.

Delícias[editar]

Pai de Família 1: Ursos Grandes, Peludos e Mansos

A maior obra-prima de todos os multiversos, é mais difícil encontrar uma cópia dessa porra do que encontrar a peça que você queria. Dizem que Goku irá pedir um exemplar desse filmaço para o Super Sheng Long, se ganhar o Torneio do Poder.

Ursos Grandes, Peludos e Mansos é o primogênito da série, o filme mais delicioso do século XXI, que é presença constante na lista de melhores filmes da história elaborada pelos críticos de cinema da Sexy Hot e da Falcon Studios. Ele foi o responsável por inserir nos anais da sociedade alguns elementos peculiares, como o suco de laranja, a delícia e o oco.

Seu roteiro foi escrito por ninguém, já que o filme em si não possui um roteiro. Todas as falas do filme foram criadas na hora, no improviso mesmo, Sandro Lima deixou a critério de Jailson Mendes e Paulo Guina decidirem o que eles iriam falar no momento mais delicioso de suas vidas, o que se mostrou uma decisão bastante sensata, pois gerou diálogos profundos e coesos, bem punhéticos mesmo. O jogo de palavras envolvendo os verbetes "trabalhar" e "brincar" feito pelos dois atores é algo que faria Shakespeare chorar, por não ter sido ele a criar isso, que é algo que encaixaria como uma peça que você queria nos diálogos entre Romeu e Julieta.

O filme foi sucesso de bilheteria em todos os países em que foi exibido, vários pais de família mundo afora (e que seguem o exemplo de Jailson) levaram seus entes queridos para as salas de cinema, para apreciarem em família as estripulias de Jailson com Guina, algo muito mais engraçado e mais em conta do que qualquer stand-up de mulher. A repercuzão foi tão grande, que a Ícaro e Sandro Lima logo iniciocaram o projeto de "Pai de Família 2", para aprofundar ainda mais a saga de Jajá.

Pai de Família 2: Trabalhando e Relaxando

A felicidade de quem começa o dia consertando o próprio carro nu enquanto leva fumo do mecânico.

Pai de Família 2 é um dos filmes com maior hype na história, pois a primeira produção fez tanto sucesso, que o segundo filme tinha a obrigação de, ao menos, manter a qualidade da franquia e não deixar a delícia cair. E a película foi bem, apesar de não possuir as mesmas nuances únicas do virtualmente insuperável "Ursos Grandes, Peludos e Mansos", "Trabalhando e Relaxando" pode ser considerado um clássico, um filme que qualquer cinéfilo virgem deve assistir antes de morrer, ou antes de levar o carro pra manutenção.

Apesar de Paulo Guina não aparecer no filme, sua falta nem é tão sentida, pois ele é substituído a altura por Kauan Desu, um mecânico folgado que toca uma oficina no meio do mato e só quer saber de relaxar, sendo o oposto de Jajá, que primeiro trabalha, e só depois brinca. Ele é contratado por Jailson para consertar o seu carro, que não andava por um problema numa rosca frouxa na parte de trás. A falta de aptidão de Kauan é nítida, pois ele pede uma chave de roda pra fazer a manutenção no motor do carro, e não era uma chave comum ainda, era uma peça que você queria, uma chave com design particular para melhor encaixar em buracos ocos que só é vendida em Cu Pequeno.

Apesar de tecnicamente ser inferior à primeira produção, "Trabalhando e Relaxando" é considerado um bom filme, ideal pra quem trabalhou no cacete o dia inteiro e quando chega em casa só quer assistir algo pra relaxar um pouco, enquanto tem seu ânus relaxado. A bilheteria da produção bateu, de diversas formas, todos os recordes de bilheteria, o que fez com que a Ícaro já fosse obrigada a produzir o terceiro filme da série, para fechar com chave de piroca a saga de Jailson, que ficaria conhecida como a "Trilogia das Laranjas".

Pai de Família 3: O Problema na Rosquinha

Jailson faz uma auto-anál ise de seus filmes até aqui, e reflete a opinião de todos os críticos mundo afora.

Após um hiato de vinte e quatro meses, o último filme da série finalmente é lançado nos cinemas, em DVD, VHS e Blu-ray, com o nome de Pai de Família 3: O Problema na Rosquinha. O mundo inteiro estava ansioso para saber como seria o último filme da saga de Jailson, se ele estaria a altura das duas produções anteriores, que se tornaram grandes referências no mundo pop. O que define é decepção, pois enquanto "Ursos Grandes, Peludos e Mansos" e "Trabalhando e Relaxando" tiveram atores carismáticos para contracenar com Jailson, neste terceiro filme a função de comer o cu cabeludinho de macho do pai de família é de Demacol, um bicho feio pra caralho que não tem nada que salva, nem simpático ele é, por isso é tão odiado pelos fanboyolas que sempre acompanharam a trajetória de Jajá.

O ponto mais forte nos outros dois filmes foram as frases de defeito, que mostram a sincronia anal entre os atores envolvidos. Já neste terceiro filme, Demacol não presta nem pra falar algo de bom, ele já chega e vai logo beijando o Jailson, mostrando que nem macho é. Guina e Kauan sim eram machos virgens de verdade, pois com eles não tinha essa de beijar e nem de olho no olho, eles já sacavam a rola e iam pro que interessa, mantendo a heterossexualidade intacta.

O filme deu um bom lucro para a Ícaro, mas só por ter pego carona no sucesso dos outros dois filmes mesmo. "O Problema na Rosquinha" é uma produção tão ruim, que os fãs até negam que essa porra faça parte da saga de Jailson, assim como fazem com Dragon Ball GT, considerando-o como um spin-off de baixa qualidade e nada delicioso. Mas não tem jeito, seja bom ou ruim, ele se encaixa perfeitamente antes do segundo filme, mostrando porque caralhos Jailson demorou tanto pra buscar a peça que você queria.

Sonoplastia[editar]

DJ Laranjex fazendo a remixagem de sua música tema, rachando o parafuso e queimando um cdzinho.

No primeiro filme inteiro é tocada a Música tema do Pai de Família, uma música de ginástica que passou por uma remixagem pelas hábeis mãos de Jailson, que entende bem de como mexer as mãos rapidamente com movimentos constantes. Para dar mais um colorido à trilha sonora de "Ursos Grandes, Peludos e Mansos", Jailson dá, e como dá, os seus gritos de macho virgem, considerados por Arnaldo Saccomani como cruciais para a aclamação da crítica musical do filme.

No segundo filme, Sandro Lima usou uma técnica musiocal diferente, ele inseriu uma melodia apenas no começo da produção, para fazer a introdução de Kauan Desu e seus pêlos no peito, com o intuito de sensualizar aquele macho peludo como um macaco. No restante do filme, a opção é por deixar apenas o barulho dos cachorros latindo e das rolas cantando, enquanto Jailson leva fumo de seu mecânico, dando assim um ar mais natural ao tomar no cu do pai de família.

No último filme, é introduzida a música do Telecurso 2000, que toca enquanto Demacol dá uma aula de pica, aula de rola para Jailson. Os efeitos sonoros foram produzidos pelo próprio Demacol, que controla suas estocadas de forma que hora elas façam barulho de árvore sendo derrubada, hora elas façam barulho de trem movido a urso. Mas o efeito mais consagrado é o "PAM", que toca quando Demacol termina aquela palhaçada de fazer propaganda de material de construção no meio de um filme pornô.

Recepção[editar]

Depois de trabalhar no cacete nos três filmes, Jailson decide tirar umas férias com Kauan, pra dar uma relaxada. O destino escolhido é a praia, pois no calorzão da capital se sua muito, como sua a bunda.

A franquia do Pai de Família é considerada a mais deliciosa já feita em território naciocal, e uma injustiçada, pois poderia facilmente ter faturado ao menos um Oscaralho na categoria de "filme mais delicioso". O primeiro filme é um dos poucos amados tanto pelos cults quanto pelos modinhas, ele é aclamado pela crítica internacional, um dos poucos a possuir avaliação máxima no Rotten Tomatoes. Tudo é delicioso na produção, o desenvolvimento dos personagens, o roteiro forte, a profundidade emocional, enfim, o conjunto da obra é perfeito, obra boa assim só poderia ser conduzida pelo engenheiro Andy Star.

O segundo filme também recebe críticas favoráveis, apesar de tímidas. O cenário, as atuações e a atmosfera relaxante da produção são elogiados, porém ele é considerado como tecnicamente inferior ao primeiro, pois sentimos a falta dos gritos de macho virgem de Jailson e de um roteiro mais forte. A grande sacada do Gustavo Kuerten presente no primeiro filme é criar uma situação improvável e de surpresa, que dá um choque no espectador, afinal ninguém imaginaria que apareceria um homem pelado enquanto Jailson está tomando seu suco de laranja no café da manhã. Já no segundo filme, o roteiro gira apenas em torno de Jailson levar a peça que você queria pro mecânico, uma situação cotidiana, com um desfecho também normal, do mecânico fodendo com o cliente.

Em homenagem a epopeia do bundão gatinho, Toba Fox fez um game no qual você deve relaxar com ele.

As críticas negativas do terceiro filme, que fazem com que sua avaliação seja de -50%, fizeram com que a Ícaro cancelasse os seus planos de dar continuidade a saga de Jailson, preferindo investir a partir daí apenas em spin-offs de baixo orçamento usando travestis que cobravam cachês baratos e não se importavam de usar óleo de soja ou Margarina Delícia como lubrificante anal. Sim, além de Demacol e sua cara de fezes ter fodido com o Jajá, ele também fodeu com a série como um todo, sua atuação sem carisma e sem beleza foi o que decretou que não teríamos um "Pai de Família 4" com a participação do Kid Bengala.

A crítica dos spin-offs é sempre a mesma, uma merda, pois estes não contam com a participação da estrela principal, o Jailson, o que faz com que a qualidade e a graça diminua consideravelmente. Erick Munhoz, o irmão de Jajá, até tentou copiar os filmes do velho urso na tentativa de ser a nova delícia da parada, mas falhou miseravelmente, principalmente por ter cu metido a heresia de substituir o suco de laranja por suco de maracujá e ter trocado Paulo Guina por Demacol, este que é a âncora cinematográfica, que afunda até filme de Hollywood.