Panthessaloníkeios Athli̱tikós Ómilos Ko̱nstantinoupolitó̱n

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa
Panthessaloníkeios Athli̱tikós Ómilos Ko̱nstantinoupolitó̱n
Escudo do PAOK.png
Brasão
Hino Grunhidos incompreensíveis que parecem ter saído de uma demo de garagem do Rotting Christ
Nome Oficial Panthessaloníkeios Athli̱tikós Ómilos Ko̱nstantinoupolitó̱n
Origem Bandeira da Grécia Grécia - Salonica
Apelidos RAOK Solun, Selanikspor
Torcedores
Torcidas Gay de 4
Fatos Inúteis
Mascote Urubu de duas cabeças
Torcedor Ilustre
Estádio Estádio de Tumba
Capacidade 29.000
Sede
Presidente Aquele doido que invadiu o campo armado para anular um gol
Coisas do Time
Treinador Não importa, nenhum dura uma temporada inteira no cargo
Pior Jogador da história Nuvola apps core.png
Melhor Jogador da história Crystal Clear action bookmark.svg.png já foi vendido
Patrocinador Siririca
Time
Material Esportivo Fábrica pirata de sinalizadores
Liga Campeonato Grego
Divisão Σούπερ Λιγκ
Títulos 3
Ranking Nacional
Uniformes



Cquote1.png O PAOK é o único clube do mundo que perde quando ganha e ganha quando perde Cquote2.png
Nikos Kazantzakis sobre PAOK
Cquote1.png Vais empurrar esta pedra montanha acima até o dia em que o PAOK se classificar para a fase de grupos da Liga dos Campeões Cquote2.png
Zeus castigando a Sísifo

Panthessaloníkeios Athli̱tikós Ómilos Ko̱nstantinoupolitó̱n (agora você sabe porque o chamam só de PAOK), também conhecido como RAOK Solun Thessaloniki, Selanikspor Külübü ou PAOK de Salônica para os brasileiros, é um dos maiores clubes esportivos da Bulgária, isso se deve ao fato de ser pior do que os Gavros, Vazelos e Turcos, então tem que se contentar com a Bulgária mesmo. Por causa dos atrasos de salários constantes e da crise eterna, muitos jogadores atualmente detestam o time.

História[editar]

Fundação[editar]

O PAOK foi fundado em 1926 por um grupo de turcos expulsos de Constantinopla depois de estes deverem 14 meses de aluguel para o governo local. Nitidamente já é nas suas origens que surge a cultura que seguirá o clube pelas próximas décadas de dever salários para jogadores e dever valores de contratos para parceiros. O escudo adotado foi uma galinha de duas cabeças, símbolo turco, com a inscrição em alfabeto cirílico com a sigla RAOK.

Um estádio também foi construído, o Estádio da Tumba que recebeu esse nome porque ali morria o futebol bonito e sobraria apenas o futebol violento praticado pelo PAOK. Rapidamente milhares de macedônios puros e outros gregos começaram a servir a nova religião local com zelo, cada um trazendo uma pedra ou uma corda de sua casa, e assim o Estádio da Tumba foi construído e após a construção do estádio todos se reuniram e comemoraram a primeira derrota do PAOK com consumo exagerado de Retsina, momento em que comeram 14 atenienses que eram turistas na época. Desde então, e em todas as partidas da equipe em casa, um ritual semelhante é realizado, onde os místicos bebem mais de uma caixa de Retsina Malamatina e comem 14 unidades de soutzoukakia smyrneika (em alusão aos atenienses comidos em 1956, prática que não pode ser recriada sempre).

Ao longo do século XX[editar]

Logrou ser um dos times mais inúteis possíveis de todos os tempos ao raramente ser algo de relevante no campeonato grego. Se Olympiakos e Panathinaikos possuem uma qualidade totalmente duvidosa, o PAOK perde sempre para estes dois, e se ficar em terceiro num campeonato grego já era motivo de comemoração para eles. Foi nessa "coadjuvância" toda, que a equipe passou seus primeiros 75 anos de existência.

O site do clube até diz que o PAOK foi campeão grego de 1975–76 e 1984–85, mas na verdade estas foram apenas as duas vezes em que ficou em terceiro lugar, respectivamente atrás de Olympiakos e Panathinaikos, posição que é considerada como título pela diretoria do clube. Isso se comprova quando ao analisar-se em qual competição europeia o PAOK jogou nos anos seguintes ao "suposto" título grego, percebe-se que na Liga Europeia de 1976-77 o PAOK enfrentou primeiro o AC Omonia de Creta e depois o Dynamo de Kiev da União Soviética (sendo eliminado por este), enquanto na Liga Europeia de 1985-86 enfrentou o Hellas Verona e foi logo eliminado por este, e claramente estes três times não são times de UEFA Champions League.

Era dos endividamentos[editar]

Não importava qual presidente assumisse o clube, o PAOK continuava sua trajetória de fracassos. Voulinos, Batatoudis, Goumenos, Zagorakis... nãi impirtava o nome, a ideia era sempre a mesma: Contratar jogadores semi-badalados no início da temporada e empolgar a torcida, para depois nunca pagar os salários exorbitantes dessas estrelas que passavam a jogar mal e jamais beliscar sequer um vice. De 1996 a 2012 o PAOK manteve-se impedido de conseguir títulos, a torcida feita de turcos na Grécia que não torcem pro AEK (ou seja, pouquíssimos) se contentava com vitórias magras sobre o próprio AEK ou a esperança de alguma milagrosa classificação para a Copa da UEFA.

Era Ivan Savvidis[editar]

Ivan Savvidis invadindo o gramado armado parar forçar o PAOK vencer um time ateniense na marra.

Em 2012 o PAO foi adquirido por um maluco chamado Ivan Savvidis, que ao ficar idoso foi dispensado do hospício onde morava e decidiu usar sua fortuna da pior maneira possível, que foi comprando o PAOK por quase 10 milhões de euros. Mas uma coisa dessa aquisição é verdade, o PAOK subiu de patamar! Agora ao invés de classificar-se para a Liga Europa o time consegue classificar-se para a preliminar na Champions League (sempre perdendo em todas, mas já é um patamar a mais). Poutra novidade é que agora o PAOM passava a ter o tapetão do seu lado, conseguindo classificar-se nas competições mesmo perdendo, como na Champions de 2013-14 quando perdeu para o Metalist Kharkiv da Ucrânia mas classificou-se mesmo assim (para na fase seguinte perder de novo, para o Schalke 04).

Outra vantagem de ter um louco como presidente é que ele pode invadir o gramado armado e coagir o juiz a anular um gol adversário e criar um clima hostil a favor do seu time, o que pode eventualmente garantir algum título grego.

E após um cagalhão de anos, finalmente o MPAOK é campeão grego novamente, título obtido com a ajuda da influência do dono bilionário nos políticos do SYRYRIKA, garantindo um título grego de forma invicta (que significa vencer o Olympiakos e o Panathinaikos duas vezes cada). O título levou o PAOK para mais levar mais uma PAOKada nas fases pré-eliminatórias da Liga dos Campeões, competição cuja fase de grupos é território proibido para o PAOK, foi eliminado pelo AFC Ajax antes de chegar lá.

Ainda assim, o PAOK continua sendo o segundo clube mais glorioso da sua cidade, ainda atrás do Aris Tessalônica que não conquista um título desde a conquista da Pérsia por Alexandre, o Grande.

Torcida[editar]

Os torcedores do PAOK são sobretudo os turcos que vivem na Grécia que não torcem pro AEK, ou seja, pessoas não muito confortáveis em usar seu dinheiro para comprar uma camisa autêntica do PAOK, preferindo estes enriquecer os camelôs comprando camisas genéricas da Juventus (de preferência a do Del Piero) no valor de 5 euros, até um máximo de 8 euros.

Uma vez uniformizado, isso não é o bastante para ser parte do Gay de 4, a torcida organizada do time. Para se qualificar como um Hooligan você precisa comprovar que detém 5 Molotovs e 6 facas em sua casa a cada semana. O ritual de iniciação é ir brigar com um torcedor do Aris Tessalônica nas primeiras horas da manhã, aleijando uns aos outros num evento que já é considerado folclórico na cidade de Salonica.

Como ser um PAOKtzi[editar]

Cquote1.png OOOOOOOOOOOOOOOO PAOKARA, eu vivo por ti! Eu morro tentando chupar o próprio pau por ti! Cquote2.png
Um grito de torcida do PAOK

De acordo com Jacy Borreaux, autor da Bíblia Galática do Futebol Grego, há vários mandamentos a serem seguidos pela torcida do PAOK. A lista deles está a seguir:

  • Faça uma cirurgia para enxergar somente em preto e branco
  • Tenha uma águia de duas cabeças como bicho de estimação
  • Nomeie o bicho como Koudas, Anastasiadis ou Zagorakis
  • Entrarás sempre pela portaria 4 em qualquer lugar
  • Só há 4 mandamentos porque 4 é um número sagrado para os PAOKtzis.
  • Qualquer coisa que der errado é culpa dos ladrões de Atenas.

A PAOKada[editar]

O ritual da PAOKada é uma tradição do PAOK que acontece pelo menos uma vez por ano. Consiste de ser eliminado de uma competição europeia ou da Copa da Grécia de forma vergonhosa ou ver um dos adversários próximos abrir um cagalhão de pontos de vantagem na tabela do campeonato grego após o RAOK empatar sem gols em casa contra o Pancasadocaralhikos. Geralmente acontece nos meses de Outubro ou Novembro no primeiro caso, e em Março ou Abril no segundo.

Cquote1.png E termina o jogo aqui na Toumba! O PAOK empata em 2-2 contra o nono colocado da liga finlandesa, dando adeus à Liga Europa Cquote2.png
Um exemplo de PAOKada
Cquote1.png Vai para a cobrança do sétimo pênalti Ningen Shinporta, a estrela japonesa do PAOK... Pra fora! Em uma noite histórica o Olympiakos Poutakipariou, de uma ilha aleatória no Mar Jônico onde só moram trinta pessoas e dois jumentos, elimina o PAOK da Copa da Grécia na segunda rodada! Cquote2.png
Outro exemplo de PAOKada

Títulos[editar]