Paulo Renato Pulz

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa
Bismarckpre.jpg Desciclopëdia über alles in der welt!!!

Estä arrtigö é alemon! Issö querr düzerr que seu autorr suschtenta ö gerraçon interra com bratwurst e sauerkraut, serrvidös porr uma fräulein . Non faça scheiße, öu te porremos de quatrro nö cörredorr polonës.


Cquote1.png Você quis dizer: Namorado virtual da Ana Amélia Lemos? Cquote2.png
Google sobre Paulo Renato Pulz

Cquote1.png Esse Paulo tem futuro! Cquote2.png
George W. Bush sobre Paulo Renato Pulz

Cquote1.png Toca a música do Paulinho aí! Cquote2.png
Cliente do Armazém Pulz sobre jingle que quase ninguém conhece

Cquote1.png Paulinho, me dá aí uma Coca bem gelada e um Marlboro vermelho. Cquote2.png
Eu sobre Paulo Renato Pulz

Cquote1.png Quanto é daqui até a Zona Sul? Cquote2.png
Cliente do táxi sobre Paulo Renato Pulz e seu taxímetro

Cquote1.png O projeto dele é bom. Cquote2.png
Técnico em AutoCAD sobre Paulo Renato Pulz

Cquote1.png Já tô vendo quem vai ser o próximo presidente desse país! Cquote2.png
Ray Charles sobre Paulo Renato Pulz

Cquote1.png Eu também. Cquote2.png
Kenshin sobre Paulo Renato Pulz

Cquote1.png Na Alemanha tudo é mais organizado. Cquote2.png
Paulo Renato Pulz sobre qualquer coisa

Paulo Renato Pulz, nascido em BerlinTaquara em 1900-e-não-vem-ao-caso, foi candidato a vereador e deputado federal em Porto Alegre nos anos de 2008 e 2010. Afora isso, ele é um profissional multiuso, pois desempenha as profissões de taxista, promoter de artistas exóticos de lugares improváveis, cientista político, dono de barmercearia e analista reverso.

Paulo Renato Pulz é o que se chama de Poser de Alemão, pois é brasileiro, mora no Brasil, ganha em real mas, ainda assim, insiste em comparar nossa República das Bananas com a Alemanha, sempre ressaltando como tudo lá é bom, como tudo lá é maravilhoso e, sobretudo, como as coisas lá funcionam bem.


Sonha em se aposentar e morar em Frankfurt, e após sua morte, ser cremado e suas cinzas jogadas sobre o Muro de Berlim (ou o que restou dele).


Análise reversa? De onde ele tirou isso?[editar]

A análise reversa é uma ciência inventada na Alemanha pelos discidentes da psicanálise freudiana que, cansados de pôr a cula na mãe, resolveram que o canal era pôr a culpa no pai e, assim, reinventaram a psicanálise. Funciona assim: na psicanálise normal, o paciente fala para o analista de seus problemas e o analista interpeta isso para descobrir qual tipo de desejo sexual oculto o sujeito tem para com sua mãe. O analista reverso, ao contrário, em vez de ouvir ele fala. Fala muito. Conta de sua vida, de seus problemas, da situação do país, de tudo que o paciente queira - ou não queira - ouvir. Segundo eles isso é mais eficaz e faz com que o paciente regrida para uma fase anal-retentiva e redescubra o equilíbrio de sua psiquê com base no princípio de que poderia ser pior.


A análise reversa também é chamada Psicanálise Murphyana, pois é mais ou menos como a coisa em si funciona.


Paulo Renato Pulz é o único analista reverso operando fora da Alemanha, e só o faz porque o Conselho Nacional de Psicanálise não reconhece a Psicanálise Murphyana como uma prática médica e, portanto, não é da conta deles se alguém sai por aí usando-a ou não.

Táxi, o lado Need for Speed de PaulO Renato Pulz:[editar]

O taxi de Paulo Renato Pulz, uma verdadeira nave urbana, uma fortaleza sobre rodas a serviço da população sedenta por transporte rápido, seguro e dispendiosoconfiável

Uma das atividades que Paulo Renato Pulz exerce para assegurar o asseio de suas finanças é o tráfico de órgãos humanostransporte remunerado de passageiros em veículo automotor de pequeno porte - leia-se: dirige táxi.


Com o taxímetro nervoso, Paulo Renato Pulz roda pela cidade levando e trazendo mais passageiros do que o sistema de transporte coletivo do município inteiro e arrecadando anualmente o equivalente ao orçamento de um país da África.


É um negócio rentável, mas é perigoso. Numa cidade perigosa como Porto Alegre em que gangues de motociclistas e incendiários transformam as noites da cidade em pesadelos pós-apocalípticos, conduzir um táxi pelas ruas mal-iluminadas à noite é uma tarefa que até CJ pensaria duas vezes antes de encarar (a não ser após um HEZOYAM e um UZUMYMW convenientemente digitados). Para assegurar a sua segurança, de seus passageiros e de suas finanças, o táxi de Paulo Renato Pulz é equipado com o que há de mais moderno em armamentos, blindagem e adaptações intercambiáveis para modificar o veículo para qualquer tipo de terreno ou situação.

PULZ-01, o táxi turbinado de Paulo Renato Pulz:[editar]

Construído por uma empresa alemã com tecnologia japonesa (a mesma tecnologia por trás dos carros de Jiban, Black Kamen Rider e Cybercops), o veículo possui especificações técnicas que poderiam perfeitamente colocá-lo como carro secreto no Need For Speed.

Especificações do veículo:

  • Motor: - PULZ MARK-I, 16.000 cilindradas, 2100hp, 10.000rpm
  • Cãmbio: - cibernético automático de 10 marchas
  • Combustível: - hélio-3 superfluido.
  • 0-100kph em 1.9 segundos
  • 0-160kph em 2.7 segundos
  • Velocidade máxima: 426kph

Equipamentos:

  • GPS
  • Computador de bordo com inteligência artificial
  • Sistema de mísseis Stinger integrado no chassi
  • Baterias antipessoais de 7.62mm
  • Escudo eletromagnético de 100.000W
  • Blindagem nível III (a mesma do Caveirão
  • WI-FI
  • Sistema de som com 1000W RMS
  • Pára-choques na cor do carro
  • Assentos esportivos
  • Desembaçador traseiro
  • Acendedor de cigarro

A mercearia[editar]

Chamar o Armazém Pulz de mercearia é um ato de humildade exagerada. O Armazém Pulz situado numa área nobre de Porto Alegre é muito mais do que uma simples venda de esquina. É um ponto de encontro.


Aberta 24 horas por dia, 7 dias por semana, o gigantesco estabelecimento reúne em suas dependências a nata da sociedade portoalegrense, que aflui de todas as regioes para comprar os artigos selecionados e de altíssima qualidade oferecidos no local a preços extorsivoscamaradas e para encontrar os amigos, ver gente bonita, se atualizar nas novas tendências da cultura e sociedade gaúcha e, claro, submeter-se (voluntariamente ou não) a sessões de análise reversa pelo seu anfitrião, quitandeiro e terapeuta de plantão Paulo Renato Pulz


São frequentadores do Armazém Pulz:[editar]

  • Poetas (conhecidos ou nem tanto) com futuro ou sem (mais frequentemente sem);
  • Músicos da noite (e do dia também), competentes ou não;
  • Taxistas (muitos, muitos taxistas... todos, eu acho);
  • Motoboys;
  • Pessoas comuns como eu e você;
  • Policiais (a pé, de carro, de moto, a cavalo e, em casos raros, de helicóptero);
  • Viciados em crack em busca de um cigarro avulso (para mais informações da ligação entre cigarro e a pedra do diabo, ver artigo sobre crack) - normalmente fiado;
  • Pessoas (como você ou eu) em busca de fiado;
  • Gente pedindo fogo pra acender cigarro ou baseado;
  • Gente pedindo as horas;
  • Gente pedindo pra olhar os classificados de Informática da Zero Hora;
  • Notívagos em geral, sóbrios ou não, drogados ou não.


Promoter de artistas exóticos? WTF?[editar]

Enquanto dirige seu táxi pela cidade, Paulo Renato Pulz costuma receber passageiros de todo tipo. E, uma de suas fontes de renda ocultas da qual só ele e mais alguns poucos (e agora que está na Desciclopédia, TODOS sabem) é a soma que ele arrecada divulgando o trabalho de artistas europeus que ninguém conhece.


Ele faz essa divulgação de um jeito simples: toca CDs desses artistas desconhecidos no som turbinado de seu táxi, para tentar convencer as pessoas a comprar o CD da criatura - sim, comprar, porque Paulo Pulz é radicalmente contra a pirataria, acha coisa de vagabundo e é uma fonte de receita para o crime organizado (tá, né). A eficiência desta manobra de marketing ainda precisa ser verificada, pois não há provas reais de que Paulo ganhe alguma coisa com isso, pois ainda há controvérsias se os tais artistas realmente existem.


E como diria o Dinho dos Mamonas, "então, político resolveu ser":[editar]

Esse é o rosto do homem que pretende mudar o Brasil um dia. Guardem bem essa cara, porque um dia ele vai ser presidente!

E como se não bastasse ser um homem de mil ofícios, Paulo Pulz ainda queria mais. Acreditando que seu futuro estava além das estrelas, lançou-se em uma busca por um lugar entre os iluminados seletos a mamar nas tetas da nação, esta puta gorda com muitas tetas que tão abundantemente alimenta os ladrões de gravata a quem chamamos governantes. Para isso, ele sabia que a estrada era dura. Mas Paulo Pulz nunca na vida fugiu do trabalho, então ele não se intimidou com as dificuldades.


Como sua visão política é conservadora direitista exaltada, só havia um partido que lhe abriria as portas: os Illuminatio DEMÔNIOSOCRATAS.


Em tempo recorde após sua filiação - aproximadamente 12,3 segundos após terminar de preencher o formulário - Paulo Renato Pulz já figurava na lista dos canidatos a vereador do DEM para o ano de 2008 junto com outros nomes fortes como Lobisomem (o do "não vote em homem, vote em [[Lobisomem!"), Zé do Belo, Paulão da Polícia em Ação (o do bordão "mentiu pro tio, contou pro vô, a casa caiu e a cobra fumou!"), Sarará (o 50% branco, 50% preto) e Professora Marili (uma professora de escola pública terrorista agitadora baderneira do CPERS). Era o início do sonho americanosonho alemão de Paulo Pulz. Era o primeiro degrau que lhe permitiria alcançar na teta gotejante de capital que balança lá no topo.

A semente do projeto:[editar]

Paulo Renato Pulz não era um político qualquer. Ele queria ser diferente. Para ele, não bastava ser mais um pendurado nas tetas do Brasil, ele queria ser mais um pendurado nas tetas da História (ele foi desmamado cedo, acredita-se). Para isso, ele começou a amadurecer um projeto.


Sim, um projeto! Todo político que se preze tem um. Pode ser uma lei para mudar a cor dos sacos de lixo da cidade, como propôs o deputado Francisco Pinho, pode ser algo mais arrojado como liberar a maconha, mas todos têm um. E Paulo Pulz criou o mais ambicioso, poderoso, glorioso, miraculoso mega plus master advanced projeto jamais concebido por uma mente burocrata conservadora.

Como esse projeto já está registrado na Biblioteca Nacional, colocar os dados aqui seria pedir de joelhos por um processo judicial, e a idéia não é das mais atraentes, então, fica apenas registrado que o projeto de Paulo Renato Pulz era fantástico. Tão bom que poderia ser considerado uma referência histórica equivalente à invenção da roda e à chegada do homem à Lua.


Para evitar lengalengas futuras, não falar-se-á (viu que bonito? uma mesóclise!) dele mais nesse artigo, até porque não interessa.

O jingle que quase ninguém ouviu:[editar]

Dois grandes artistas da cidade, que preferiram manter seus nomes em sigilo para não criar estigmas políticos compuseram, numa noite gélida de agosto, uma música que seria lembrada por uma multidão de 20 pessoas (ou menos) como o jingle da campanha de Paulo Renato Pulz para vereador.


A letra era um plágio descarado de Amigo Pedro do Raul Seixas, mas ninguém - ou quase ninguém - percebeu isso, ao menos não até o jingle já ter virado o assunto principal nas rodas e saraus noturnos do Armazém Pulz. E era mais ou menos assim:

Cquote1.png "Você quis saber qual meu candidato


eu disse que vou votar no Paulinho


>Porque ele tem muitas boas propostas (é verdade)


Por isso é que eu vou votar nele



Paulinho onde 'cê vai, eu também vou


Vote Paulinho pra vereador Cquote2.png
Músicos pseudodesconhecidos sobre Paulo Renato Pulz vereador



Por problemas com direitos de imagem e coisas escrotas relacionadas a contratos e agenda de shows mais que lotada, os artistas não tiveram permissão da gravadora para contribuir com a candidatura de Paulo Renato Pulz, o que certamente não ajudou muito o mitomesmo.


A apuração, a decepção:[editar]

Após muita expectativa no dia das eleições, com direito a unhas roídas e bolão valendo caixa de cerveja para tentar adivinhar quantos votos Paulo Pulz levaria, o resultado pegou a todos se surpresa, mesmo os mais otimistas. Uma verdadeira avalanche de 586 votos. Esse resultado deixou-o cerca de 3000 votos abaixo do mínimo que um candidato a vereador precisa conseguir em Porto Alegre pra poder começar a sonhar com a mamata de um salário de 4000 reais por mês e uma jornada de trabalho de 3 dias semanais.


O golpe foi duro para Paulo Pulz. A tristeza e o abatimento tomaram conta de seu coração e ele se afundou em depressão, chegando até a falar algumas vezes em suicídio político (ou seja, desfiliar-se do DEM e filiar-se ao PCO). Mas depois ele acabou superando, com a ajuda de muito vinho Adega Dani e Ruffles sabor churrasco, como manda a não tão boa tradição alemã.

Com a lição aprendida... se repete o erro com mais convicção![editar]

Mas Paulo não desistiu. Mas por Deus, esse é Josef Climber!Ele tentou novamente uma vaga, desta vez almejando vôos mais altos. Após discussões, brigas, ameaças e aquele festival de cobras se picando que é tão tradicional dentro de diretórios partidários (principalmente nos de direita), Paulo Renato Pulz novamente era candidato a alguma coisa.


Desta vez, Deputado Federal. Mas Paulo Pulz sabia que a caminhada ia ser pedreira, pois agora teria que brigar com os gigantes Paulo Borges (o homem do tempo da RBSTV que odeia que lhe perguntem se vai chover ou fazer sol) e Onyx Lorenzoni (um político com nome de joalheria de rico que é tão votado que os votos que sobram de uma campanha já são computados para a campanha seguinte, ou seja, ele entra sempre).


Mas e daí? Paulo Pulz iria perseverar de novo. Munido de 1.000.000.000 de santinhos, partiria ele mesmo para fazer campanha a bordo de seu táxi, agora convertido em comitê eleitoral móvel, por todas as cidades do Rio Grande do Sul se preciso, mesmo que precisasse pedir votos de porta em porta. E não iria contratar ninguém pra entregar panfleto porque "isso sai muito caro".

Cquote1.png YES, WE CAN! Cquote2.png
Barack ObamaPaulo Renato Pulz sobre eleger-se deputado federal

E então, sem apoio do partido DEM, transformado em comitê de um homem só, Paulo Renato Pulz entrou para o Guinness Book of Records ao percorrer 150.000 quilômetros a bordo de seu táxi, espalhando seus santinhos e a semente de seu projeto por todos os rincões do pampa. Nada mau para alguém que fez tudo sozinho, pensaria ele depois, mas até o último minuto da eleição, ele ainda se sentia como uma espécie de patinho feio do cenário político portoalegrense.

O outro jingle que quase ninguém ouviu:[editar]

Desesperado, imerso em dúvidas sobre sua sexualidadefiliação político-partidária, Paulo Pulz se viu de novo diante da árdua tarefa de angariar votos entre os eleitores sedentos por uma barganha. Mas, como comprar votos não era sua área, ele teria que convencer o povo na marra, ou seja, na base de muito boca-a-boca e muita falação (e dá-lhe análise reversa!). Mas Paulo Renato Pulz tinha um trunfo: outro jingle, composto pelos mesmos artistas desconhecidos que fizeram o primeiro, mas agora, muito mais profissional e perfeitamente adaptado para a nova situação de campanha.


A letra é a mesma, só muda o refrão:



Cquote1.png Paulinho onde 'cê vai eu tô legal


Paulinho onde 'cê vai eu tô legal


Paulinho deputado


fe-de-ral (assim mesmo, destacando bem as sílabas) Cquote2.png
Artistas pseudodesconhecidos sobre Paulo Renato Pulz deputado federal

Outra apuração, outro resultado (dããã!):[editar]

Outra eleição, outro arroubo de ansiedade, um momento de dúvida, um de medo e um choque. Não, não era a urna eletrônica que estava em curto-circuito, era o resultado da votação. Dos 30 mil votos que Paulo Renato Pulz precisava, recebeu apenas 865.


A mudança de legenda e a esperaça no futuro:[editar]

Frustrado com o mau desempenho nas duas eleições, cansado de não ter o apoio do partido vendido, Paulo Renato Pulz decidiu mudar. Mudando do DEM para o Partido Progressista, outro conservador de direita disfarçado de liberal, Paulo Pulz agora quer tentar sua carreira como chefe de gabinete, amparado no affair que rola secretamente entre ele e a divasenadora Ana Amélia Lemos (ex correspondente em Brasília da RBSTV. É um futuro promissor, já que o famigerado projeto de Paulo Pulz agora está nas mãos da senadora e ela achou tudo lindo, tudo maravilhoso e tudo cor-de-rosa e quer usar a idéia para se promoverpromover as mudanças que o Brasil precisa.

Paradeiro atual:[editar]

Paulo Pulz encontra-se recluso atualmente. Imerso em estudos sobre numerologia e mecânica quântica, Paulo continua lapidando seu projeto e estudando mais e mais o mar de lamao panorama geopolítico em que o Brasil está imerso.


Ele quase não é visto na rua, exceto quando dirige seu táxi pelas ruas da cidade. Sua mercearia está com as portas trancadas a sete chaves e todo o estoque de guloseimas já foi destruído por ele e pelos ratos que agora dominam o local - ratos estes que têm nome, são eles Serra, um rato velho e magro quase sem pêlos; Dilma, uma ratazana gorda e cinza que dorme em cima de um saco de ração pra cachorro e Pinho, um rato velho e preto que adora furar sacos de lixo só pra verificar se está separado corretamente. Quando perguntado sobre quando o Armazém Pulz será reaberto, Paulo responde com evasivas e apresenta prazos fantasiosos do tipo: "Vou abrir quando o Bangu ganhar a Libertadores" ou "Dia 31 de fevereiro eu reabro sem falta."


Muitos alegam que Paulo abandonou a carreira de quitandeirobusinessman para dedicar-se à politica e ao taxismo. seu outro fetichevício ativista.


Atualmente briga nos sindicatos da vida pela implantação de uma cobertura para o ponto de táxi da Rodoviária de Porto Alegre e instalação de banheiros com água quente e lenços umedecidos de limão nos principais shoppings e estabelecimentos de grande rotatividade da Capital.