Primeira Liga do Brasil

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa

Cquote1.png Prefiro assistir Corinthians e XV de Piracicaba Cquote2.png
Hater da Primeira Liga sobre transmissão de jogos no Brasil

Primeira Liga do Brasil é o nome dado a uma panelinha de times de futebol recalcados que decidiram se reunir para um torneio amistoso que ninguém se importa além deles próprios. Em seu cerne, visa substituir os enfadonhos campeonatos estaduais por algo que seria mais como um esquente para o campeonato brasileiro, assim relegando os times pequenos ao buraco em que merecem estar.

Ainda é um grande mistério o que o campeão dessa pelada ganha, pois não vale vaga para lugar nenhum e nenhum benefício para o campeonato brasileiro.

Criação[editar]

Na medida em que a Copa Verde e a Copa Nordeste começaram a fazer sucesso no Brasil [carece de fontes] os times do Sul e do Sudeste ficaram com invejinha, e decidiram eles próprios se reunirem para criar algo bem em cima da hora, com um regulamento totalmente varzeano, igual quando você vai com seus amigos no parque e decide de última hora as regras de um torneio de final de semana.

O idealizador dessa bosta foi Alexandre Kalil, presidente do Atlético Mineiro, que cansado de nunca ganhar nada além de uma migalhinha ou outra, decidiu criar uma liga totalmente nova reunindo times aleatórios que não fossem de São Paulo, para que assim quem sabe o seu timeco tivesse chance de ganhar algo. Como as palavras "desorganização" e "ganância" são as duas únicas coisas que movem o futebol brasileiro, todos os times convidados ao bacanal aceitaram a ideia, menos os clubes paulistas que possuem rivais mais dignos em seu campeonato estadual. Já times como Cruzeiro, Grêmio e Coritiba simplesmente só jogam pelada no começo do ano, por isso acharam uma boa se juntar ao torneio.

Na prática esse campeonatinho sem importância é basicamente uma maneira fútil e inútil de tentar superar a hegemonia do futebol paulista como o mais rentável, mais vistoso e de melhor qualidade do Brasil, além é claro, de proibi-los de participar, pois aí jamais os clubes mineiros e gaúchos teriam qualquer chance de vencer.

Participantes[editar]

Não há qualquer critério meritocrático, lógico ou justo para garantir a participação de alguém no torneio, sendo que ele funciona basicamente na base de panelagem, corrupção, elitismo e convites aleatórios. Não há qualquer critério técnico quando vemos que Caldense e Tombense ficaram na frente de Cruzeiro e América Mineiro respectivamente, mas os dois últimos que garantiram vaga no torneio. Enquanto o Atlético Paranaense brigou para nã rebaixar no mero campeonatinho estadual e o Operário do Paraná foi finalista, foi o Atlético que garantiu vaga na Primeira Liga. Enquanto Chapecoense que permaneceu na Série A perdeu a vaga para o rebaixado Avaí e um Criciúma que passou o ano todo lutando para não cair para a Série C.

Como não há qualquer vínculo com federações ou confederações, os times envolvidos podem panelar e chamar quem bem entenderem que darem mais dinheiro, inclusive o time de amigos do Wesley Safadão que joga todo final do ano, Time dos Solteiros de Baixo Guandu e o Time Sem Camisa do Cariri. Desde que tenha dinheiro, torcida e cotas de televisão, fará parte do torneio.

Vencedores[editar]

Ano Final Semifinalistas
Campeão Placar Vice
2016
Escudo do Fluminense.png
Tapetense
1 - 0 Escudo do Atlético Paranaense.png
Poodles
FLA GLS.jpg
Flamerda
Escudo do Internacional.png
Internal Anal
Ano Final Semifinalistas
Campeão Placar Vice
2017
Escudo do Londrina.png
Londrina
0 (4)-(2) 0 30px
Gaylo
30px
Cruzeiro
Escudo do Paraná.png
Paranauê

Títulos por clube[editar]