Professora de arte

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para navegação Ir para pesquisar
ESTE ARTIGO É SOBRE UMA GOSTOSA!!

Ela provavelmente não sabe atuar, dançar, cantar, desfilar, praticar esportes, fazer cálculos matemáticos ou qualquer coisa de útil para a humanidade. Mas quem liga? Todo mundo a conhece apenas porque ela é uma baita duma

GOSTOSA

Loira tatuada.jpg
Professora de arte do tipo 1 (ao centro) com seus mestres alunos.

Antes de mais nada, é necessário ressaltar que existem dois tipos bem distintos, quase opostos, de professora de arte.

O primeiro tipo consiste em mulheres jovens, hippies, com dreads, peludonas, que fazem as próprias roupas e acessórios com materiais recicláveis, se recusam a tomar banho, ouvem Mato Seco, andam de bicicleta e usam a erva maconha comprada com o professor de história.

O segundo tipo consiste em mulheres de meia-idade, patricinhas, com cabelo loiro oxigenado, depiladas, que só usam roupas de marca, andam perfumadas, ouvem MPB, andam de carro importado, fodem como cadelas e são o sonho de consumo da rapaziada. Essas sempre foram ricas, e só escolheram a licenciatura em arte porque queriam um diploma mas não sabiam o que cursar.

Características[editar]

A professora de arte é um dos poucos membros do corpo docente a não integrar a panelinha do socialismo, liderada pelo professor de geografia. As do primeiro tipo citadas anteriormente, apesar de maconheiras, estão cagando pra política, vivendo em seu próprio mundo lisérgico e esquizofrênico, mais ou menos como o Ventania. Já as do segundo tipo, as gostosas, costumeiramente são coxinhas e mantém distância de maconheiros que não tomam banho, como o professor de filosofia.

A professora de arte é a principal inspiração pras punhetas dos alunos, que ao serem apresentados a ela começam a desenvolver o fetiche clichê de comer a professora. As professoras de arte do segundo tipo aparecem na imaginação da garotada por motivos óbvios, mas até mesmo as do primeiro tipo são desejadas pelos estudantes, mas aí é por falta de opção mesmo, já que a professora de cálculo e a professora de português nem São Jorge no auge conseguiria encarar.

Aulas[editar]

Retrato de uma professora de arte feito por um de seus alunos.

As professoras de arte não costumam explicar muito a matéria, até porque elas não sabem quase nada sobre, já que nos tempos de universidade passavam mais tempo no bar do que na aula. Tópicos como cubismo, surrealismo e realismo são considerados irrelevantes e deixados de lado, com a professora de arte preferindo coordenar atividades de desenho livre ou de pintura a dedo. No caso das professoras de arte que querem se aventurar no mundo do teatro, elas propõem que os alunos desenvolvam o seu lado de ator, participando de peças teatrais como a Macaquinhos.

Apesar de ministrarem aulas de pintura, as professoras de arte geralmente não sabem pintar, no máximo fazem uma pintura abstrata e dizem que aqueles borrões foram inspirados nos movimentos artísticos do século XX, aproveitando-se do fato que os alunos não fazem ideia de quais foram os movimentos artísticos do século XX pois ela não os ensinou, então eles não tem condições de conferir se é verdade ou não.

As professoras de arte são as mais queridas pelos alunos, e não apenas por serem gostosas. Elas fazem chamada e marcam faltas, mas sempre acabam por retirar no final da aula. Ao final do bimestre, elas dão notas entre 7 e 10 para todos os alunos, mesmo para os vagabundos que fizeram merda nenhuma nas aulas ou sequer compareceram. Elas também permitem que se use celular em ambiente escolar, até porque ela mesma atende o próprio celular enquanto está lecionando.