Rebecca, a Mulher Inesquecível

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa
Thriller 3D.jpg That this is thriller!

Este artigo é sobre um filme de suspense! Lê-lo sem uma lanterna e uma carabina do lado pode ser fatal pra você. Aliás, que barulho é esse?

Cartaz chique do filme.

Cquote1.png Você quis dizer: Uma Noite com um Travesti Chamado Rebecca Cquote2.png
Google sobre título original de "Rebecca, a Mulher Inesquecível"
Cquote1.png Rebecca é considerada inesquecível por que, Alfred Hitchcock? Cquote2.png
Repórter sobre Rebecca, a Mulher Inesquecível
Cquote1.png Bem, porque ela tem um pacote surpresa, que lembra muito o suspense de meus filmes! Cquote2.png
Alfred Hitchcock sobre a suposta surpresa de Rebecca

Rebecca, a Mulher Inesquecível é um filme de Alfred Hitchcock, que estava ainda tentando avançar aos poucos no cinema e não repetindo o mesmo erro que os outros diretores de sua época, que chegavam chutando a porta e botando os estúdios de quatro e que sempre acabavam esquecidos.

"Rebecca, a Mulher Inesquecível" é um dos filmes que Alfred Hitchcock deveria tirar do currículo, pois os fãs de suspense e de terror sempre acabam ownados quando um espertinho acaba indicando este como um dos primeiros filmes de Hitchcock: um filme de suspense que está embrulhado como um romance água-com-açúcar.

Sobre o filme[editar]

Rebeccca após a Governanta ter descoberto que ela tinha pênis.

Muito comentado pelos entusiastas por cinema (tão comentado que você pode ter ouvido falar dele só após tua avó ter dito que teu bisavô havia usado esse filme para seduzir sua bisavó), Rebecca, a Mulher Inesquecível é a primeira obra do "gênio", Alfred Hitchcock. Apesar de parecer um romance falido, esse filme tem vários elementos do diretor, como por exemplo, o fato das mulheres sempre se envolverem no suspense e acabarem sendo mortas por homens.

O título era para ser apenas "Rebecca", mas quando os tradutores brazukas viram o título e acharam ele sem sal, resolveram aumentar só mais um pouquinho, complicando mais ainda com a pronúncia do filme.

Uma vez, Alfred teria registrado em seu diário o que o motivou a fazer seu primeiro filme. Ele teria comentado sobre sua primeira noite com uma armadilha que ele jurava que era mulher. Alfred ficou tão envergonhado que resolveu fazer um filme com o nome dela (tanto que colocou até o número de contato dela para quem quisesse descobrir o que a torna "inesquecível").

Sinopse[editar]

Era uma vez uma ninfeta chamada Rebecca Linhares. Rebecca acabou conhecendo um viúvo chamado Manderley (Hitchcock era muito ruim em dar nomes para os personagens e apelava para essas misturas de nomes escrotos).

Manderley acaba decidindo se casar com a ninfeta pouco tempo após ter conhecido ela. Coisa típica de viúvos ricos que querem ser viúvos o mais rápido possível... Rebecca, quando começa a morar na mansão de 500 cômodos do ricaço, ela começa a se sentir estranha, pois a governanta da casa se sente relutante em deixar "seu mestre" se casar com uma ninfeta que vai bancar a sanguessuga.

Aí Hitchcock teria criado o clichê da "governanta insana", que ao decorrer do filme, Rebecca acaba descobrindo alguns pobres sobre ela e os outros habitantes da casa que se sentem intimidados com a beleza de Rebecca. O fim do filme nunca é revelado, tal como o nome de Rebecca, pois o ricaço era tão íntimo dela que só perguntou seu nome na noite de núpcias, torcendo para que não fosse "Vandiscléia". Mas muitos apostam que no final, Manderley acaba ficando enlouquecido após descobrir que sua esposa era homem e que a governanta roubava papel higiênico da mansão.

Ver também[editar]