Residência de Würzburg

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa
Reichtangle.png Desciclopëdia über alles in der welt!!!

Estä arrtigö é alemon! Issö querr düzerr que ele é parrte dö conspürraçon gerrmänica parra inwadir ö Frankreich por trrás öutrra wez. Non faça scheiße, öu te porremos de quatrro nö Berliner Mauer.

Este artigo é um
Patrimônio Mundial da Humanidade.

Pode ser uma ruína, uma cidade
de merda, um matagal abandonado,
mas está protegido!

World Heritage Site logo.png

Leitura recomendada apenas para
pessoas com cultura.

A UNESCO monitora este artigo.


Cquote1.png Eu quero um palácio maior, eu quero, eu quero!! Cquote2.png
Príncipe-Bispo sobre Residência de Wurtzburgo
Cquote1.png Isso é uma casa? Cquote2.png
Você sobre Residência de Wurtzburgo

A Residência de Wurtzburgo, diferente do nome, não é apenas uma residência. Ela é um complexo residencial que poderia abrigar mais de 50.000 pessoas. Mas o príncipe da região é tão pão-duro que não a divide com ninguém, mesmo 90% do palácio vazio devido ao seu tamanho gigante.

Você nunca morará nisso.

Como se não bastasse o tamanho da residência ser um desperdício de dinheiro, seu proprietário mandou os artistas mais caros da Europa enfeitar o edifício com frescuras, apenas para demonstrar aos amigos que ele é rico. A construção de Wurtzburgo começou quando o bispo que mandava em tudo na região não gostaram de continuar no palácio em que morava.

História[editar]

O religioso achou que a sua antiga morada era muito pequena (afinal, ela só ocupava 51 quarteirões). Ele ficou com um forte mau humor, que o deixava muito irritado e pirracento. Se as pessoas já achavam que ele era um chato antes, imagina quando ele estava enjoado.

Chegou num momento em que seus visinhos se cansaram dele e chegaram à beira da loucura, de tão chato o bispo. Então, para o bem do saco deles, os visinhos deram um pouco de dinheiro para que o cara construísse outra casa maior. Querendo se demonstrar para os amigos e as namoradas deles, ele comprou um terreno imenso no lugar mais caro da região e mandou os construtores fazerem um palácio enorme, com o máximo de frescuras e detalhes idiotas apenas para a residência encarecer e assim impressionar os amigos.

Mas a porcaria era grande, mas tão grande, mas tão grande, mas tão grande que o proprietário morreu antes de terminar a obra. Seus parentes, aproveitando que o morto pagou adiantado todos os custos da obra, coordenaram o término das obras. Depois de mais de 100 anos construindo, a residência finalmente ficou pronta. Agora faltava apenas o portão, o jardim, o lago...

Quando terminaram definitivamente todas as obras, uns vizinhos sacanas decidiram fazer uma sacanagem. Pegaram um monte de rojões e estouraram dentro da residência. Ela pegou fogo e foi destruída. Para a sorte dos proprietários, a UNESCO voi as ruínas da casa, e por ser grande e imprestável, a transformou num patrimônio mundial; além de bancar a restauração.

Hoje[editar]

Hoje, os proprietários perceberam que poderiam lucrar muito com a visita de pessoas sem nada para fazer. Os donos da Residência de Wurtzburgo lucram com o turismo na casa. O jardim da residência tem formato de labirinto, e todos os anos há competições para ver quem consegue sair vivo do labirinto. Os que ganham permanecem vivos, e só. Os que perdem viram ossadas ou ganham um enterro gratuito, como prêmio de consolação.