Sakanoue no Tamuramaro

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa
Shogun, em plena luta. Avistado em 1943, em Olinda.

Sakanoue no Tamuramaro (坂上田村麻呂 758 - 811) foi um general e shogun japonês do período Heian no Japão. Foi o primeiro shogun do Japão. Era filho de um japonês do Japão, também.

Biografia[editar]

Servindo o Imperador Kammu, virou shogun, e teve a tarefa de conquistar a tribo dos Emishi, um bando de pescadores lá do norte. Ele foi lá, ofereceu uma propina no valor de sete mil garrafas de saquê que valem mais do que grãos de arroz, e a tribo foi anexada ao Império. Kammu ficou tão feliz que morreu de alegria. Então, vieram o Imperador Heizei e depois o Imperador Saga, e o general obedeceu a todos, sendo promovido à Conselheiro-aMor e depois a Ministro da Guerra, mesmo não havendo ninguém para guerrear.

Segundo os fofoqueiros de plantão, dizem que fizeram os festivais de Tanabata, que atualmente possuem mais gente que o Carnaval e as micaretas, ocorriam em homenagem à ele, pela facilidade que ele tinha para conquistar as tribos que ainda não eram anexas ao Império.

Os matsuri de outono também acontecem em homenagem à este cara, mesmo que ninguém (exceto você, agora) saiba que tudo que ele fez foi subornar com álcool o pessoal de lá. A única tribo que ele não conseguiu conquistar, foi outra tribo Emishi. Neste caso, ele mandou colocarem lanternas gigantes no topo do morro, e acendê-las. Quando eles foram lá por curiosidade, ou por simples atração, igual moscas, foram capturados e levados para Auschwitz.

Sakanoue, antes de dar o seu cavalo branco para Napoleão em troca da França.

Morte[editar]

Tamuramaro morreu com 54 anos, para grande tristeza do Imperador Saga, que distribuiu arroz e roupas para os japoneses como símbolo de sua tristeza (afinal de contas, como ele era mão-de-vaca, este era seu último símbolo de profunda tristeza e depressão). Seu arco, suas flechas e sua espada, além da sua garrafa de saquê, que estava vazia, foram colocadas junto do caixão, por ordem do próprio Imperador. Além disso, nunca realizaram uma autópsia nele, mas por ser japonês, temos três hipóteses:

  • Harakiri, se matou porque fez algo que não queria que a mamãe soubesse;
  • Coma alcoólico, muito sangue no saquê saquê no sangue;
  • Alguma batalha sem sentido, feita pela honra do Imperador e do povo japonês (mesmo que a batalha fosse contra outros japoneses).

Ele também ganhou uma estátua e um poema, e dizem que seu espírito guarda Kyoto e o Japão. Hiroshima e Nagasaki que o digam!