Samuel Reoli

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa
Baixo12crds.jpg
Bass.jpg
Samuel Reoli pensa que é BAIXISTA!
E sabe que a última corda é G e não E!


Se não fosse por nós, os guitarristas não seriam tão bons assim.


Cquote1.png Narigudo não! Ninguém, mais ninguém chama Samuel de NARIGUDO! Cquote2.png
Dinho sobre Samuel Reoli
Cquote1.png Descobrimos que na verdade, Edir Macedo é o seu nome real. Por que vocês ainda não criaram a Igreja Universal do Reino Mamona? Cquote2.png
Samuel Reoli entrevistando Dinho
Cquote1.png Olha, a gente já tá comprando nossa própria emissora de televisão. Vamos ter a maior rede de pegar peixe do mundo Cquote2.png
Dinho sobre frase acima

Samuel rindo de quando o Bento lembrou do jeito que o guarda da prisão caiu com a bunda no chão quando eles fugiram.

Samuel Reis de Oliveira, encurtado pra Samuel Reoli pra evitar a fadiga, foi o baixista dos Mamonas Assassinas. Irmão do único e melhor baterista e cantor sertanejo (ao mesmo tempo) Sérgio Reis e filho de Samael, o anjo da morte, o menino Reoli foi apelidado de tamanduá-bandeira pelo fato de seu nariz ser extremamente grande.

Biografia[editar]

Não há muito o que falar do menino Samuel: ele e seu irmão Sérgio Reis eram detentos de um hospício de Guarulhos, até que o oxigênio do recinto se tornou insuficiente pro nariz do menino, e eles tiveram que fugir. Quando finalmente se viu do lado de fora, depois de anos trancado na solitária do hospital por causa de seu hálito nada agradável, ele e Sérgio conheceram Bento Hinoto, o guitarrista japonês nascido na Tasmânia mais querido do país. Estava formada a cozinha da banda, agora só faltava um idiota pra cantar. Como Samuel tinha uma voz tão bonita que quebrava todas as vidraças e espelhos de Guarulhos, resolveram colocar ele pra tocar o baixo mesmo, que não incomodava os vizinhos.

Com a chegada do vocalista viaDinho e do melhor tecladista de Guarulhos que não sabia tocar o instrumento Júlio Rasec, estava formada a banda Mamonas Assassinas do Espaço, nome sugerido pelo próprio Samuel em homenagem à mãe do meigordinho Júlio. Seu primeiro CD fez tanto sucesso que só no programa do Gugu Liberato eles se apresentaram 323 vezes. De tanto tocar ao vivo na televisão o baixo de Samuel desenvolveu a habilidade de emitir som sem estar plugado, uma coisa fantástica.

Curiosamente, a música com a melhor linha de baixo dos Mamonas, Onon Onon, não tem a participação de Samuel. Afinal, ela era muito complicada pros dedinhos de tamanduá dele aguentarem.

O caso Valinhos[editar]

O que muitos não sabem sobre Samuel Reoli é que ele já se envolveu num confronto fatal. Segundo o que conta o vocalista Dinho (sabendo disso, eu já não levaria essa história tão a sério...), Samuel foi tocar o instrumento numa noite em Valinhos, quando de repente, encontrou um menino baixinho, gordo, branquelo, do cabelo vermelho. O garotinho olhou para Samuel e acabou cometendo um erro fatal: chamou o baixista de narigudo. E como ninguém chama de Samuel de narigudo, ele enfurecido enforcou o garotinho com um cabo de som (só não me pergunte de onde ele tirou esse cabo), logo depois usando o dito cujo pra pular corda num ato de deboche. O garotinho em seu último suspiro de vida ainda teve tempo de dizer "narigudo" mais uma vez. Mas como eu já disse, isso não passa de uma lenda de um certo viaDinho.

Donamorte1.jpg Samuel Reoli já morreu!

Patrocinado pela Sadia!

Clique aqui pra ver quem te espera no inferno