Shōichi Nakagawa

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para navegação Ir para pesquisar
Caninha2.JPG Cquote1.svg TOMA CACHAÇA, CARAI!! Cquote2.svg

Este artigo tem cheiro de porre! O autor está caído na calçada, gorfando álcool puro. Melhore este artigo e ganhará 6 litros de uísque, mas se vandalizar, será obrigado a tomar uma garrafa de pinherense!

Predefinição:Morto

Cquote1.svg Você quis dizer: Sakê Nakagawa Cquote2.svg
Google sobre Shōichi Nakagawa

Cquote1.svg Toma saquê, carai!!! Cquote2.svg
Leonaldo sobre Shōichi Nakagawa

Cquote1.svg Se forem cremar o corpo, vão levar uns três dias para apagar o fogo... Cquote2.svg
Bombeiros sobre Shōichi Nakagawa

Cquote1.svg Ele sabia usar muito bem a técnica do Sui-ken, né Gai Sensei ^^. Cquote2.svg
Rock Lee sobre Shōichi Nakagawa

Cquote1.svg Effe devia fê miniftro do meu governo. Cquote2.svg
Lula sobre Shōichi Nakagawa

Shōichi Na cagada Nakagawa (中川酒), também conhecido como Sakê Nakagawa, foi um cachaceiro político japonês conhecido por seus hábitos etílicos, especialmente em público.

História[editar]

Na juventude, Nakagawa era garoto-propaganda de fabricantes de Saquê.

Nakagawa nasceu em 1953 na ilha de Hokkaido, no norte do Japão, uma ilha conhecida mundialmente pelo frio do demônio e por ser uma grande produtora de arroz, a matéria-prima do Saquê. Por ser uma região rural, Nakagawa passou a sua infância no campo, levando vida de caipira roceiro, o que incluía beber um gole de saquê no café da manhã, trabalhar um pouco na roça, beber mais um dedinho de saquê no almoço, outro à tarde, mais um à noite, etc.

Em 1978, formou-se em Direito pela Universidade de Tóquio, depois de cinco anos de estudos e outros quatro anos tentando entrar lá. Com especialização em Direito Agrário, Nakagawa tornou-se o maior defensor dos produtores e latifundiários de arroz do Japão, com o intuito de reduzir os custos do saquê para o consumidor japonês.

Política[editar]

Mais tarde, Nakagawa entrou para a política, prometendo uma verdadeira revolução na agricultura do Japão. Depois de propor ao primeiro-ministro o programa Sede Zero, Nakagawa foi nomeado ministro da agricultura. Nesse novo posto, Nakagawa finalmente conseguiu realizar seu sonho de reduzir o preço do saquê a 100, ienes (pouco mais de 1 real) ao litro, atingindo assim as camadas mais baixas da população.

É mentira. Eu só tomei isso aqui de saquê antes do encontro, né.

Se ele foi capaz de fazer um milagre econômico nos derivados do álcool, poderia também ser capaz de salvar a economia nipônica, que está em crise. Então Nakagawa foi chamado para o Ministério das Finanças, com essa missão. E até que ele estava indo bem, até ser enviado ao encontro mundial do G7 para debater sobre a crise. Nesse dia, seus hábitos alcoólicos infelizmente falaram mais alto e todo o mundo conheceu ao vivo os poderes do saquê. Quando indagado pelos outros participantes por que ele estava cambaleando sobre a mesa, Nakagawa só conseguia falar "Tomei saquê, carai!!!"

Depois de desonrar seu país perante o mundo, Nakagawa considerou cometer harakiri em nome de seus compatriotas e antepassados, mas na verdade ele só tava de olho no gole de saquê obrigatório antes do ritual. E evidentemente Nakagawa "desistiu" do harakiri depois de cumprir essa parte fundamental do rito.

Desfechos[editar]

Sendo pressionado a renunciar ao cargo de ministro das finanças, Nakagawa já estava procurando um novo emprego. Correram boatos de que o nosso presidente Luiz Inácio Lula da Silva estaria pensando seriamente em convidar o japonês para ser ministro no Brasil, para tentar operar um milagre econômico no preço da cachaça.

Em outubro de 2009, Nakagawa repentinamente Muó-rreu, sendo encontrado morto dentro de um barril gigante de saquê. Dizem que ele pediu para não ser salvo.

Veja Também[editar]