The Mothers of Invention

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa
Arband.jpg Este artigo é sobre um(a) artista, grupo musical ou uma banda.

Certamente, seus fãs idiotas alienados o odiarão!

Zappa mostrando o segredo do seu sucesso: seu cabelo, capaz de atrair até homens... ok, essa frase foi homoafetiva demais.

OBS: Esse artigo contém altas doses de humor extremamente... subliminar, sobre o Zappa. Entendedores entenderão, e não entendedores e niggas, no more!

The Mothers of Invention foi uma banda de rock com elementos de jazz, música erudita, humor descíclope, pagode, funk carioca, tecnobrega e axé. E talvez mais uns 160 estilos que eu esqueci de citar apenas pra não deixar essa frase grande demais e sem graça demais, já basta o nome do D. Pedro I no artigo dele mesmo (não confiram lá ainda, terminem esse artigo antes, porra!). Ela esteve em atividade durante as décadas de 1960 e 1970, até o dia que um estúpido com um sinalizador fez fogo nos céus e fumaça na água. A maior parte do material era de autoria de seu líder, Frank Zappa, já que ele era um pretensioso do caralho o resto da banda era preguiçoso e viviam chapados de LSD, esquecendo até os dias de ensaio (sempre esses amadores...).

História narrada por uma mãe da prevenção[editar]

Inicialmente, a banda se chamava "The Soul Giants" e era uma banda gospel da Igreja Evangélica O Cuspe de Cristo, formada pelo baterista Tiago (ou Jaime) Carlos Pretão, o baixista Roedor de Ruas Grandonas, o saxofonista Davi Lauro Coronado, o guitarrista Raio Caçador e o vocalista Raio do Phil Collins. Raio do Phil Collins e Raio Caçador brigaram, porque ambos usavam o mesmo primeiro nome e nenhum dos dois queria trocar pra "Ciclone" ou "Terremoto", ficando assim que o Raio Caçador saiu (ainda bem) pra entrada do porra-louca chamado Francisco Zapeador. Abandonando o Domínio de Melchizedek, onde ele se chamava pelo nome de Sheik Yerbouti (o Yerbouti significa "Doido Demais"), Zappa tentou então carreira como guitarrista e tocador de banjo nessa banda, nem imaginando que depois disso se tornaria o deus da guitarra BLASFÊMIA, TODOS SABEM QUE É O ERIC CLAPTON (durante a escrita do artigo detectamos um fã demente de Eric Clapton vandalizando, por favor, desconsiderem, ele não sabe o que fala).

Essa foto explica bem o sentido do disco Absolutely Free...

No final de 1965, o produtor Tom Wilson passou por um bar aonde os Mothers estavam tocando e ofereceu a eles um contrato e um adiantamento de R$ 5,00 pra comprar a Skol. Tom achava que a banda era uma bandinha country (pois é, anos 60, putaria total na música e ainda tinha quem achasse que country existia ainda), e se espantou quando o disco "Freak Out!" começou a ser gravado, uma porra-louca feita na Garagem do Joe (não faço ideia de quem seja esse Joe, mas ele foi bem limpeza em emprestar essa garagem) e que deixou até os The Beatles babando de inveja (tanta inveja que eles gravariam pouco depois o disco "We're Only in It for the Money", não, peraí, não foi esse, foi o "Sgt. Peppers Lonely Hearts Club Band" todo imitando o Freak Out! Só que a gravadora mandou trocar os Mothers por The Mothers of Invention, porque na língua inglesa a palavra "mothers" ("mães"), se atribuída a pessoas do sexo masculino, sugere o termo obsceno "motherfucker" (e você nem imagina que era essa mesma a intenção...).

As vendas de Freak Out! foram fracas, em torno de 15 cópias vendidas, o que fez a MGM reduzir o orçamento da banda em seu próximo disco para R$ 1,00 (em cédula mesmo, sem valor nenhum, mas foi em cédula). Decidiram então lançar Absolutely Free em 1967 e We're Only in It for the Money em 1968. O primeiro era uma homenagem ao Homem da Utopia que era totalmente livre, o outro foi um agradecimento (ou não) aos Beatles por terem plagiado a ideia da banda do Freak Out!, sendo assim eles plagiaram a capa do plágio, sendo assim um plágio do plágio que tinha antes plagiado eles mesmos, talvez por extensão eles no fundo no fundo se plagiaram a si mesmos. Puta que pariu... esse suco que eu tomei deve estar batizado, porra... que viagem alucinante.

En 1969, o Mothers of Invention se separou após um divórcio caro pra burro, mas ainda em 1970 Zappa sob pressão da Gail Zappa, que estava nessa porque queria apenas mais dinheiro reatou o casório, juntando-se a novos músicos que não me interessam quem são porque a maioria ou não tem artigo na Wikipédia ou tem artigos desse tamanho aqui ó:

"George Duke (12 de Janeiro de 1946, San Rafael, California) é um músico norte-americano. Tocou com a banda The Mothers Of Invention até sua dissolução, em 1969" E acabou o artigo, assim mesmo, sem nem ponto final. Se duvida, veja com seus olhos que a terra há de comer, seu São Tomé incréu!

O fato é que a banda voltou e lançou um disco de nome feio pra caralho chamado "Chunga's Revenge" (uma mania velha do Zappa, bem Wowie Zowie da vida, Aleurias do Zoooooooooom) e dois discos ao vivo sem artigo porque disco ao vivo normalmente só foi publicado porque a Gail Zappa queria mais dinheiro. A banda terminou de novo após uma fã dar uma cantada no Zappa e aí a Gail, por pura vingança, avisou o namorado dessa mina e ele foi lá e jogou o Frank de uma altura de 100 metros, de onde ele sobreviveu, apesar de passar um ano com todos os ossos do corpo, incluindo os dos ouvidos, quebrados.

Depois de 1975, após um show fracassado em Montreal, que só o Deep Purple saiu lucrando porque ganharam um dinheirão zoando com o corintiano que soltou um sinalizador no show do The Mothers, matando um boliviano no processo (não, esse último é mentira, mas você já tinha percebido, eu acho...) Desde 1980, Jimmy Carl Black, Don Preston e Bunk Gardner, ao lado de outros ex-membros do Mothers of Invention, ocasionalmente se reunem e tocam sob o nome "The Grandmothers" ou "The Grand Mothers Re:Invented", tocando músicas de Frank Zappa e Captain Beefheart, além de composições originais e clássicos do blues. Na verdade... eles nem podem mais fazer isso no palco, já que a Gail os proibiu.

Discografia[editar]

As futuras mamães da invenção, por enquanto elas só brincam mesmo de bonequinha.

Com Zappa[editar]

(Todos os discos que vieram após 1975 com Zappa foram feitos apenas pela Gail, pelos motivos que eu JÁ CANSEI DE DIZER AQUI, PORRA!).

Sem Zappa[editar]