Timothy Dalton

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa
0,,14479677,00.jpg Atenção! Este artigo seca!

Cuidado ao ler, pois ele pode lhe passar uma uruca filha da mãe! Ééé... Porque tem gente que bota OLHO GORDO.

Iron Fitness, hein?? Eu sempre quis ter um aparelho de ginástica assim...

DescicloWales.png ESTE ARTIGO É GALÊS!

Ele pertence a uma insignificante porção de terra do Reino Unido, usa nomes complicados para suas cidades, adora dragões e provavelmente possui uma conta na Celwyddoniadur.

Cquote1.png Você quis dizer: Tolo desconhecido? Cquote2.png
Google sobre Timothy Dalton
Cquote1.png Você quis dizer: Jaime Bunda? Cquote2.png
Google sobre Timothy Dalton

Timothy Dalton (21 de março de 1946) foi um artista galês de teatro que fez porra nenhuma muitas coisas significativas no cinema. Foi o quarto ator á interpetar o personagem James Bond ou 007, no entanto, ele gostou mais de seu papel como James Bond ou 007 nos cinemas, mas isso não importa, pois o público não prefere nenhum desses dois anteriores, o papel que eles mais gostaram de Dalton foi James Bond ou 007.

Ao lado direito, seu namorado querendo saber quando transar, ao lado esquerdo, seu pai te esperando atrasada da balada

Vida, 007 e hoje em dia[editar]

Dalton, desde criança, sempre se interessou ávidamente por teatro e pelo ramo de artista e, algumas fontes indicam que ele, numa peça de escola, acabou matando todos os seus parceiros de palco, apenas para ter um resultado melhor de atuação dele na peça Hamlet, de Shakespeare (Você não sabe o final da peça Hamlet? QUASE TODOS MORREM NO FINAL!!! Desculpa o Spoiler...) Seu nome original é só Timothy Peter, só que, quando ele estava fazendo os figurinos para a mesma peça citada acima, ele percebeu que tinha algo de errado em sua visão (Seus amigos pediram para ele trazer tecido verde para confeccionar uma roupa pro personagem principal, só que ele havia trazido uma vermelha!!!) Aí seu amigo chegou e disse:

- Hey, Tim, que porra é essa, mano? A gente pediu verde!

- E isso aqui é o quê? - Diz Timothy. - É verde!

- Verde o seu cu! Isso é vermelho! - (Aquele momento em que a imagem congela no final de um episódio de novela das 9h).

Reação de Timothy ao descobrir que é Daltônico

Então se seguiu uma época de tristeza e porres de vodka (Como diria o Jake de Dois Homens e Meio "Meu nome é Sdevodka... Porresdevodka!) e a atuação foi algo ausente na vida do jovem Tim. Então ele conheceu um artista um pouco meia boca que não fazia nada além de umas pontas. O nome dele era Sean Connery. Os dois ficaram amigos e Sean o estimulou para continuar atuando e, ao descobrir da doença de visão do amigo, deu a ideia:

- Mano! Essa é a sua volta por cima! Você tinha que colocar essa porra no seu nome!

- Sério, cara? - Disse Timothy.

- Sim, mas como estamos na Inglaterra, deixa o nome em inglês pra soar melhor! Timothy... Dalton!

Logo, Timothy gostou tanto da ideia que adotou mesmo Daltônico em inglês no seu nome, virando então, Timothy Peter Dalton.

Timothy Dalton fazendo a coisa mais fácil do mundo em 007 Permissão Para Matar, um empinadinha e um cavalinho de pau com um caminhão SCANIA

Enfim, em 1967, o mítico Sean Connery, amigo de Dalton, abandonou o papel de James Bond (Que havia conseguido por comer a mulher do diretor, que ao invés de matá-lo, foi obrigado por ela á dar o papel pra ele). O motivo para a saída de Sean foi o mais porco nobre possível: Os caras que estavam fazendo paródia de James Bond na TV, estavam ganhando mais dinheiro que o próprio ator que interpretava James Bond (No caso, ele) e ele estava puto da vida porque as pessoas o paravam na rua em qualquer lugar e diziam "Ei, James Bond!", deixando claro que ele só estava sendo associado á esse papel. O jovem Dalton foi cotado para fazer o papel, no entanto, ele recusou por se achar jovem de mais (o cara só tinha 21 anos, E o Sean tinha 37), então depois de uma mal feita pra caralho busca, substituíram Sean Connery por George Lazenby, um modelo e vendedor de carros que nunca tinha atuado em nada especial na vida.

Então, em 1969, saiu um dos piores filmes da franquia 007 já feito: "007 Á Serviço Secreto de Sua Promiscuidade". George Lazenby, que tinha o contrato para mais um filme, se demitiu dizendo que James Bond iria ser algo "Demodê" em poucos anos (na verdade a porra do filme foi tão ruim, mas tão ruim, que foi um fracasso de bilheteria na franquia 007, e aí os caras da MGM chutaram o cara e foram procurar outro ator pra interpretar o James Bond.

Mas o destino botou o pau na mesa e disse: "Caralho! Eu quero esse daltônico pro papel de James Bond!" e quando o destino bota algo na cabeça, nem o Tinhoso tira. E assim foi, 18 anos após o fracasso de 007 ÁSSSP (sigla para o nome do, ah foda-se, vocês já sabem que filme é...), ele estreou em 1987 em 007: Marcado para a Morte.

O filme retrata a história real de um agente britânico que tinha vindo ao Brasil pra comer umas prostitutas de doze anos, e acabou prendendo um traficante do morro chamado "Leonildo, o Putim", que o acabou jurando de morte.

O filme fez um sucesso astronômico na República Federativa do Congo, e então foi encomendada uma sequência para dois anos depois. E em 1989, saiu o segundo filme com o ator no papel de James Bond: 007 Permissão Para Matar. Esse filme do final dos anos 80, conta a história do agente, dessa vez mais delicado, pedindo Permissão para Matar ao invés de já sair matando todo mundo... Legal da parte dele, né?

Nesse filme ele pega duas minas: Uma espanhola com a cara da Thalia depois de uma seção de bronzeamento e outra com a cara da Xuxa (na época em que ela era gostosa, é claro!). O filme não teve tanto sucesso quanto o anterior, mas foi o suficiente para os donos da produtora EON Productions, que era responsável pelos filmes da série, quererem mais um.

Timothy tinha sido contratado para fazer mais um filme, só que, o estúdio responsável para fazer os filmes, a MGM (aquela do leão, saca?), foi vendida para um grupo de viados australianos chamados QINTEX e eles queriam fazer uma fusão da MGM com outra empresa que eles tinham, a Pathé, uma empresa francesa, e caso isso ocorresse, os direitos dos filmes de 007 iriam ser repartidos entre uma empresa de franceses viadinhos o autor é xenófobo.

Então a EON, não gostou dessa suruba aí e resolveu lutar pelos direitos que ainda tinha pelo personagem, e essa luta durou pra caralho. Demorou tanto que o Tim ficou puto e disse: - Tô fora dessa porra! Fui!

E quando a situação foi finalmente estabilizada, Timothy não quis voltar, tava ocupado lambendo o saco em suas atuações na TV. Então trocaram ele pelo ator Pierce Brosnan.

Hoje em dia, após ter abandonado o papel de James Bond, sua vida segue uma merda muito ocupada com as atuações na TV. Seu trabalho mais recente é como um velho na série Penny Dreadful.

Hoje em dia ele é tão conhecido quanto o triângulo das bermudas, fazendo um sucesso enorme em peças no Acre.

Ele é considerado por muitos fãs de 007, o James Bond perfeito (isso porque não viram o Sean Connery) e um dos mais sérios, muito parecido com o James Bond loirinho bombado que temos hoje.

Timothy Dalton é um dos James Bonds mais desconhecidos do mundo, só perde para George Lazenby, o público nem ao menos faz idéia de quem eles fizeram o papel por que eles fizeram pouquíssimos filmes. Puta Azar.