Tiwanaku

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para navegação Ir para pesquisar
Este artigo é um
Patrimônio Mundial da Humanidade.

Pode ser uma ruína, uma cidade
de merda, um matagal abandonado,
mas está protegido!

World Heritage Site logo.png

Leitura recomendada apenas para
pessoas com cultura.

A UNESCO monitora este artigo.


Tiwanaku (na língua local Tomar-no-ku) nome derivado de taypikala que significa enfia no meio foi um vasto império de uma civilização pré-colombiana formada por índios cheiradores em geral.

Civilização Tiwanaku[editar]

A Porta do Sol. Centro de encontro de satânicos do mundo todo.

Tudo começou quando uma pequena aldeia de humanos se desenvolveu a partir de um protozoário que por acidente caiu no Deserto do Atacama. Aqueles humanos causaram um intenso desequilíbrio ambiental na região e aumentou descontroladamente desmatando a região mais do que já era (espécie de vírus).

Os Tiwanaku são conhecidos por terem sido serem cabeçudos e por louvarem cabeças. A sua civilização desenvolveu vastas plantações de cabeças humanas e cultivo de cérebros.

Essa civilização possui ainda uma avançada técnica de mumificação, considerada uma das mais perfeitas, consistia em jogar os corpos a céu aberto. O clima árido e inóspito local fazia a parte da conservação. Hoje partes inteiras e super-bem-conservadas de pessoas Tiwanaku podem ser vistas em vários museus pela Bolívia. Os corpos encontrados que parecem vivos, na verdade estão vivos, só que hibernando pelos próximos 5.000 anos.

A divindade cultuada era o Deus Lhama, benevolente representava a fertilidade, leite e comida. Essa figura é retratada na animação A Nova Onda do Imperador.

Há ainda teses que afirmam que Tiwanaku é a Atlântida narrada por Platão, pois ele descreve com exatidão a Pedra do Sol - "Havia uma pedra no meio do nada" (trecho retirado dos manuscritos de Platão).

Depois que um povo pestilento aportou nas praias próximas, o Povo Tiwanaku cometeu suicídio em massa.

Hoje Tiwanaku se encontra em estado lastimável de conservação sendo assaltado e destruído constantemente. E quanto mais assaltam mais raro vão ficando os apreços dos Tiwanaku e mais caros eles vão ficando no mercado negro e mais assaltado vai ficando o sítio de Tiwanaku, e assim por diante nesse ciclo vicioso. Como o povo boliviano é sem educação e pobre, não se importam também de vandalizar o sítio.

Poucos sabem porque o povo Tiwanaku não é tão conhecido quanto os Incas, a resposta é que os Tiwanaku é uma palavra difícil de pronunciar.

Monumentos[editar]

A Porta do Sol é o grande monumento dos Tiwanaku, sendo uma versão reduzida do Stonehenge, e assim como as pirâmides do Egito, abre um portal para outra dimensão a cada 2000 anos.

A Estátua no meio do nada é ainda outro símbolo da cultura Tiwanaku.

Parece que só tem essas duas porcarias mesmo feitas pelo Povo Tiwanaku.