Toyota Corolla

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa

Sculpture samurai.jpg

Made in Japan
Este é um artigo com tecnologia do sol nascente né.
E joga yakyû até cansar.

NovoWikisplode.gif
A nossa sátira autorizada, a Wikipédia, tem um artigo sobre: Toyota Corolla.
DramaticQuestionMark.png
Você sabia que...
  • ...o Corolla XLi custa a partir de 60 mil reais e não oferece ABS nem como opcional?
DramaticQuestionMark.png
Você sabia que...
  • ...o Etios, que pode custar metade de um Corolla, oferece mais proteção para crianças?

Cquote1.png O Toyota Corôlla é um carro do caralho!!! Estou só esperando o novo modelo sair para comprar um. Cquote2.png
Viado sobre Toyota Corolla
Cquote1.png Eu fiz um com três folhas de papelão, madeira, quatro pedaços de borracha e fios de cobre Cquote2.png
MacGyver sobre Toyota Corolla
Cquote1.png É carro de dotô. Cquote2.png
Brasileiro sobre Toyota Corolla
Cquote1.png Fue mi primer coche en los Estados Unidos. Cquote2.png
Imigrante ilegal mexicano sobre Toyota Corolla

Toyota Curôlla (Carôla pros japas) é um banheirão carro popular japonês com status de carro de luxo no Brasil fabricado desde 1966.

História[editar]

O primeiro modelo do Toyota Corolla era semelhante a um Chevette piorado, com rodas de Lambretta e mecânica de Piaggio Ape adaptada numa carroceria feita com uma mistura de papelão, arame e cola de sapateiro.

Os modelos seguintes foram crescendo e passando a usar motores Daihatsu, mas mantendo a transmissão antiga, até a criação do Levin, popularmente conhecido como Hachi-Go entre os otakus e drifters mais fanáticos.

Obs.: Toyota Corolla Levin = Hachi Go. Toyota Sprinter Trueno (Initial D) = Hachi Roku.

Foi o último Corolla a ter tração traseira. Em seguida, passou a ter tração dianteira, usando câmbio de minibuggy com juntas homocinéticas adaptadas para tracionar as rodas frontais. Foi a primeira geração com tração dianteira que popularizou o câmbio automático fora dos Estados Unidos. Atualmente 90% dos Corollas saem de fábrica com câmbio automático em formato fálico, enquanto os 10% restantes recebem uma transmissão manual fabricada pelas Organizações Tabajara.

Desde 1998 é produzido também no Brasil, onde uma versão com motor a diesel é produzida apenas para exportação para os argentinos que são pobres e porcos demais para usar gasolina.

Popularidade[editar]

Adorado por tiozões, imigrantes ilegais, garis, pedreiros e analfabetos do mundo inteiro, é o modelo mais vendido pela Toyota há bastante tempo, suficiente para infestar as ruas do planeta.

É muito popular entre adeptos do tuning quando tem mais de cinco anos de uso, tempo que normalmente os tiozões trocam de carro, e como seu público-alvo prefere modelos 0 km, sofre desvalorização acentuada, o que o torna fácil de ver encalhado numa revendedora de bairro.

Não bastasse ser um dos carros mais vendidos no mundo, é surpreendente como ganhou status de carro de luxo em países de terceiro mundo, quando no seu país natal não passa de carro de frota de empresas e locadoras.

A "nova" geração ganhou certo ar de requinte, abandonando aquele ar de carro que não quebra, mas que não cheirava nem fedia. Aliás, olfatos mais exigentes sempre sentirão algo estranho no ar nos modelos mais antigos, quando resolvem usar a ventilação forçada.

Popularizou o câmbio automático em nosso país, mas muita gente precisa aprender que câmbio automático não precisa ficar no D o tempo todo. Muito menos com o overdrive desligado, o que faz o motor incomodar com seu rugido chato e queima ainda mais a nossa cara mijolina.

Galeria[editar]

Ver também[editar]

Típico sonho de consumo da classe média. Este artigo é sobre um carro.

♫ Puta que pariu, pisa no freio, Zé... ♫

Ele queima óleo, suja sua garagem, solta fumaça e sempre lhe deixa na mão no meio da estrada!
v d e h
*Automóveis, atropelamento e fuga