Traços da Morte

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa
Night creature.JPG Traços da Morte surgiu das trevas!!

E adora assustar criancinhas!

Puro osso.gif
Atenção: leia este artigo com bom humor

A Desciclopédia é um site de humor, não venha nos dizer que pegamos pesado.
Se você não é capaz de apreciar o bom humor afrodescendente, visite outro artigo.

Por que o leproso não passou no teste de direção? Porque deixou o pé no acelerador.


Não se engane pela capa, esse filme não tem NADA de científico, nem fala sobre autópsias...

Traços da Morte é uma série de filmes snuff/shockumentary amaldiçoado pior que o clássico "Faces da Morte" que começou em 1993. Sua temática básica consiste em mostrar DE FATO cenas de pessoas morrendo de formas escrotas, nojentas, corpos humanos dilacerados e mais um monte de merda splatter que faz a imaginação de diversas bandas de grindcore por aí.

Sobre a série[editar]

Os cinco filmes da série são clones quase perfeitos de Faces da Morte, com uma diferença que é feito a partir de vídeos caseiros filmados por aqueles filhos da puta que você vive fazendo campanha contra eles no Facebook por eles costumarem estripar cachorros e também explodirem o cu do papagaio da vizinha com um rojão.

Entre cenas famosas, que podem ser vistas também no Assustador.com.br estão o suicídio do político ladrão Budd Dwyer cometido para todo o EUA assistir ao vivo pela TV; a morte do ator Vic Morrow e de mais duas criancinhas nas gravações do filme de ficção científica/terror "No Limite da Realidade" de Steven Spielberg em 1983, um ciclista atropelado por um ônibus porque esqueceu de olhar os dois lados (afff... isso foi MUITO humor negro pro seu gosto!), pessoas brincando de tiro ao alvo em Sarajevo (e elas eram O alvo), além de mais um monte de coisas que você se for um leitor emo vai odiar rir delas nesse artigo.

A partir do segundo filme, eles recebem a ajuda de bandas como Carcass, Napalm Death, Suffocation e Impaled Nazarene para compor a belíssima trilha sonora do filme, melhor que a trilha sonora de Titanic mil vezes.

Parte por parte[editar]

NovoWikisplode.gif
A nossa sátira autorizada, a Wikipédia, tem um artigo sobre: Traços da Morte.
  • Parte 1 (1993): Cenas terríveis de um infeliz turista que é devorado por um Leôncio faminto. Raras imagens de Ilse Koch, cujas atrocidades durante o Regime Nazista inspiraram muitos filmes pornôs. Há ainda legistas comendo Big Mac enquanto trabalham, suicídios de emos, assassinatos e embalsamentos. 78 minutos. Narração de Damon Fox. (As cenas de embalsamamento são descartáveis).
  • Parte 2 (Cenas Mortais!!) (1994): Cenas de explosão (filme de Michael Bay?), sua sogra em decomposição, acidentes na Fórmula 1 e um show de caminhões onde um gigante robô vira um Robocop Gay. 90 minutos. Narração de Damon Fox.
  • Parte 3 (Morto e enterrado!) (1995): Cenas do terrorismo praticado por fãs de Restart xingando muito no Twitter. Uma jovem vítima da real história que inspirou o famoso filme O Silêncio dos Inocentes (sim, ela teve que comer parte do próprio cérebro) e imagens sangrentas efetuadas pelo Esquadrão da Moda no SBT desgraçando com o estilo de roupa de muitas mulheres. 85 minutos. Narração de Brain Damage.
  • Parte 5 (Muito mais mortal) (2000): O violento assassinato de uma vendedora de cachaça batizada, acidentes e o submundo da cultura gótica (o que isso teve a ver com a série toda eu não faço a menor ideia). 92 minutos. Narração do Narrador da Sessão da Tarde.

Ver também[editar]


v d e h